Pelo menos nove mortos em incêndio num hospital na Roménia

Pelo menos nove pessoas morreram na manhã de hoje num incêndio no hospital da cidade portuária de Constanta, na Roménia, declararam as autoridades locais. Todos os pacientes foram retirados do Hospital de Doenças Infecciosas de Constanta e o incêndio já foi extinto, segundo o departamento de situações de emergência da Roménia. O Ministério da Saúde romeno disse, num comunicado, que mais detalhes serão dados posteriormente numa conferência de imprensa, num horário ainda não anunciado. Segundo a nota, 113 pacientes estavam internados no hospital, 10 dos quais estavam na unidade de cuidados intensivos. A Roménia, um país da União Europeia (UE) com 19 milhões de habitantes, teve dois outros incêndios em hospitais no ano passado, o que levantou preocupações sobre a deterioração da infraestrutura hospitalar do país. Em novembro passado, 10 pessoas morreram depois de um incêndio atingir uma unidade de cuidados intensivos para pacientes com covid-19 num hospital da cidade de Piatra Neamt, no norte do país. Outro incêndio, registado em janeiro numa enfermaria do Hospital Matei Bals, em Bucareste, matou cinco pessoas. Após o incêndio no Hospital Matei Bals, o Presidente romeno, Klaus Iohannis, pediu uma reforma urgente e “profunda” do sistema hospitalar. Iohannis disse que tragédias como aquela "não podiam acontecer novamente”.

Pelo menos nove mortos em incêndio num hospital na Roménia
Pelo menos nove pessoas morreram na manhã de hoje num incêndio no hospital da cidade portuária de Constanta, na Roménia, declararam as autoridades locais. Todos os pacientes foram retirados do Hospital de Doenças Infecciosas de Constanta e o incêndio já foi extinto, segundo o departamento de situações de emergência da Roménia. O Ministério da Saúde romeno disse, num comunicado, que mais detalhes serão dados posteriormente numa conferência de imprensa, num horário ainda não anunciado. Segundo a nota, 113 pacientes estavam internados no hospital, 10 dos quais estavam na unidade de cuidados intensivos. A Roménia, um país da União Europeia (UE) com 19 milhões de habitantes, teve dois outros incêndios em hospitais no ano passado, o que levantou preocupações sobre a deterioração da infraestrutura hospitalar do país. Em novembro passado, 10 pessoas morreram depois de um incêndio atingir uma unidade de cuidados intensivos para pacientes com covid-19 num hospital da cidade de Piatra Neamt, no norte do país. Outro incêndio, registado em janeiro numa enfermaria do Hospital Matei Bals, em Bucareste, matou cinco pessoas. Após o incêndio no Hospital Matei Bals, o Presidente romeno, Klaus Iohannis, pediu uma reforma urgente e “profunda” do sistema hospitalar. Iohannis disse que tragédias como aquela "não podiam acontecer novamente”.