Perda de cruzeiros gera três milhões de prejuízos

A manchete da edição de hoje do JM dá conta de que a suspensão da operação de cruzeiros no porto do Funchal já motivou perdas para a Madeira na ordem dos três milhões de euros. O Governo Regional decidiu atribuir um apoio de 4,5 milhões de euros à APRAM para suprir a ausência de receitas, numa altura em que a TUI Cruises excluiu a Região da fase inicial da retoma. Destaque nesta edição também para as diversões em suspenso. Os responsáveis pelo Mega Luna Park e o Circo Mundial estão preparados para viajar para a Região no Natal. Têm até novidades para apresentar, mas admitem não ter ainda autorização das autoridades regionais. Pode ler ainda sobre a queixa de um empresário que reivindica a autoria de um projeto apresentado pela Câmara do Funchal. Noutros temas que merecem também chamada de primeira página, Carlos Pereira diz que há mais 180 milhões para as empresas, e Albuquerque classifica o Orçamento de Estado como “vergonhoso”. Leia mais sobre estes e outros assuntos, na edição desta sexta-feira do seu JM.

Perda de cruzeiros gera três milhões de prejuízos
A manchete da edição de hoje do JM dá conta de que a suspensão da operação de cruzeiros no porto do Funchal já motivou perdas para a Madeira na ordem dos três milhões de euros. O Governo Regional decidiu atribuir um apoio de 4,5 milhões de euros à APRAM para suprir a ausência de receitas, numa altura em que a TUI Cruises excluiu a Região da fase inicial da retoma. Destaque nesta edição também para as diversões em suspenso. Os responsáveis pelo Mega Luna Park e o Circo Mundial estão preparados para viajar para a Região no Natal. Têm até novidades para apresentar, mas admitem não ter ainda autorização das autoridades regionais. Pode ler ainda sobre a queixa de um empresário que reivindica a autoria de um projeto apresentado pela Câmara do Funchal. Noutros temas que merecem também chamada de primeira página, Carlos Pereira diz que há mais 180 milhões para as empresas, e Albuquerque classifica o Orçamento de Estado como “vergonhoso”. Leia mais sobre estes e outros assuntos, na edição desta sexta-feira do seu JM.