PNR diz que grandes superfícies devem ser pressionadas a dar prioridade à banana regional

O cabeça de lista do PNR às eleições legislativas da Madeira, Álvaro Araújo, disse hoje que os governantes regionais deviam "fazer pressão" junto das grandes superfícies comerciais, para equipararem o preço da banana local ao da oriunda do...

PNR diz que grandes superfícies devem ser pressionadas a dar prioridade à banana regional
O cabeça de lista do PNR às eleições legislativas da Madeira, Álvaro Araújo, disse hoje que os governantes regionais deviam "fazer pressão" junto das grandes superfícies comerciais, para equipararem o preço da banana local ao da oriunda do estrangeiro. "Infelizmente, as grandes superfícies dão sempre prioridade de venda à banana estrangeira. Isso é ridículo, porque nós devemos dar prioridade à nossa produção", afirmou o candidato, numa iniciativa de campanha no Funchal, junto a um armazém da GESBA, empresa pública de gestão do setor da banana. Álvaro Araújo disse que a banana regional é paga ao produtor entre 25 a 30 cêntimos ao quilo e depois surge à venda entre 1 e 3 euros nas grandes superfícies do continente, ao passo que a banana oriunda do estrangeiro é habitualmente comercializada a metade do preço. "Os nossos governantes deviam fazer uma certa pressão nessas companhias, para que pelo menos equiparassem o preço da banana estrangeira à nossa", afirmou o cabeça de lista do Partido Nacional Renovador, sublinhando que, preço por preço, a preferência dos consumidores iria para o produto regional. "Eu tenho a certeza que os continentais iam dar preferência à banana da Madeira e não ia acontecer, como tem acontecido sempre nesta época de verão, em que a banana é exportada para o continente e depois fica lá em câmaras frigoríficas dois e até três meses", alertou. Álvaro Araújo salientou, por outro lado, que a produção média anual de banana na Madeira é de 18 mil toneladas, ao passo que o continente, o principal mercado de exportação, consome cerca de 90 mil toneladas. "O Partido Nacional Renovador não vem aqui para criticar a GESBA, de maneira alguma, vem sim para chamar a atenção do processo de comercialização que está a ser efetuado", disse, sublinhando que as margens de lucro entre o preço pago ao produtor e o preço pago pelo consumidor variam entre os 400 e os 1000%. "Alguém está a ficar com esse dinheiro e não é o produtor", advertiu. As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem em 22 de setembro, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional. PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único. Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.