Português arrisca perpétua

Um português de 25 anos que está a ser julgado pelo homicídio da namorada em Nova Iorque, EUA, vai cumprir um mínimo de 30 anos de cadeia, mas a pena pode chegar a perpétua. Devido às provas apresentadas em tribunal e à confissão do crime,...

Português arrisca perpétua
Um português de 25 anos que está a ser julgado pelo homicídio da namorada em Nova Iorque, EUA, vai cumprir um mínimo de 30 anos de cadeia, mas a pena pode chegar a perpétua. Devido às provas apresentadas em tribunal e à confissão do crime, Javier da Silva não tem qualquer hipótese de escapar a uma pena pesada – em tudo semelhante à que foi aplicada a Renato Seabra pelo homicídio de Carlos Castro. A decisão será conhecida a 21 de maio. Javier da Silva estava ilegal nos EUA, onde tinha entrado com visto de turista em maio de 2017, mas fixou-se em Nova Iorque, onde conheceu Valerie Reyes, que matou, há um ano, por asfixia após terem relações sexuais na casa da vítima. Na última sessão do julgamento, Javier da Silva Rojas, nascido na Venezuela mas que tem nacionalidade portuguesa, declarou-se culpado pelo rapto e assassinato de Valerie Reyes, de 24 anos, cujo corpo foi encontrado numa mala dias após ter desaparecido, numa zona florestal já no estado vizinho do Connecticut.