Presidenciais: Participação na Venezuela está a ser “melhor do que o esperado”

O Conselheiro das Comunidades Portuguesas pela Venezuela, Fernando Campos, disse, após votar no Consulado-Geral de Portugal em Caracas, que a participação nestas eleições presidenciais está a ser “bastante boa”. As declarações do conselheiro demonstram alguma surpresa em relação ao esperado. “A esta hora já votaram 70 pessoas em Caracas. Nas últimas presidenciais votaram 60 entre os dois dias de votação”, explicou o conselheiro. É no estado Anzoátegui que se regista o maior número de votos até ao momento, com 102 pessoas a exercer o seu direito. “Nós fizemos um trabalho importante nas últimas duas semanas, a contactar aos cidadãos inscritos nesta seção consular, com a finalidade de os a incentivar a exercer o seu direito ao voto, principalmente aos residentes na zona norte do estado Anzoátegui, nomeadamente Barcelona, Puerto La Cruz, Lechería e Guanta, pois sabemos das dificuldades das pessoas do resto do estado para se deslocar devido a falta de gasolina e de transporte, além da pandemia e a quarentena. Entre as 8h00 e as 14h30 (hora local) votaram um total de 102 pessoas, o que nos deixa muito contentes pois temos um aumento na participação. Valeu a pena os dias que investimos em fazer chamadas e a contactar as pessoas” afirmou Rui Pereira, Cônsul Honorário de Portugal em Barcelona, estado Anzoátegui. No Consulado Honorário de Portugal em Los Teques, estado Miranda, uma das zonas do país com maior número de portugueses no país, a participação tem sido baixa, com aproximadamente 60 pessoas até às 14h00. O cônsul Pedro Gonçalves disse que pouco a pouco começam a chegar mais pessoas e que espera um aumento da participação entre a tarde de hoje e amanhã. Dos 10 centros eleitorais habilitados na Venezuela, apenas um não abriu devido a problemas no envio das cadernetas e material eleitoral: trata-se do Consulado Honorário de Portugal na ilha de Margarita, estado Nueva Esparta. As pessoas inscritas neste consulado não vão poder votar nem hoje nem amanhã. Os emigrantes portugueses espalhados pelo mundo são chamados a voto este sábado e domingo em 171 mesas distribuídas por mais de 70 países: no total são 1.550.063 pessoas com direito a voto no estrangeiro, 52.742 das quais na Venezuela (33.991 pela seção consular de Caracas e 18.751 pela seção consular de Valência). Nas eleições presidenciais do ano 2016 votaram 1.285 pessoas na Venezuela, das 19.802 inscritas no recenseamento eleitoral. A participação foi de 6,49%, para uma abstenção de 93,51%.

Presidenciais: Participação na Venezuela está a ser “melhor do que o esperado”
O Conselheiro das Comunidades Portuguesas pela Venezuela, Fernando Campos, disse, após votar no Consulado-Geral de Portugal em Caracas, que a participação nestas eleições presidenciais está a ser “bastante boa”. As declarações do conselheiro demonstram alguma surpresa em relação ao esperado. “A esta hora já votaram 70 pessoas em Caracas. Nas últimas presidenciais votaram 60 entre os dois dias de votação”, explicou o conselheiro. É no estado Anzoátegui que se regista o maior número de votos até ao momento, com 102 pessoas a exercer o seu direito. “Nós fizemos um trabalho importante nas últimas duas semanas, a contactar aos cidadãos inscritos nesta seção consular, com a finalidade de os a incentivar a exercer o seu direito ao voto, principalmente aos residentes na zona norte do estado Anzoátegui, nomeadamente Barcelona, Puerto La Cruz, Lechería e Guanta, pois sabemos das dificuldades das pessoas do resto do estado para se deslocar devido a falta de gasolina e de transporte, além da pandemia e a quarentena. Entre as 8h00 e as 14h30 (hora local) votaram um total de 102 pessoas, o que nos deixa muito contentes pois temos um aumento na participação. Valeu a pena os dias que investimos em fazer chamadas e a contactar as pessoas” afirmou Rui Pereira, Cônsul Honorário de Portugal em Barcelona, estado Anzoátegui. No Consulado Honorário de Portugal em Los Teques, estado Miranda, uma das zonas do país com maior número de portugueses no país, a participação tem sido baixa, com aproximadamente 60 pessoas até às 14h00. O cônsul Pedro Gonçalves disse que pouco a pouco começam a chegar mais pessoas e que espera um aumento da participação entre a tarde de hoje e amanhã. Dos 10 centros eleitorais habilitados na Venezuela, apenas um não abriu devido a problemas no envio das cadernetas e material eleitoral: trata-se do Consulado Honorário de Portugal na ilha de Margarita, estado Nueva Esparta. As pessoas inscritas neste consulado não vão poder votar nem hoje nem amanhã. Os emigrantes portugueses espalhados pelo mundo são chamados a voto este sábado e domingo em 171 mesas distribuídas por mais de 70 países: no total são 1.550.063 pessoas com direito a voto no estrangeiro, 52.742 das quais na Venezuela (33.991 pela seção consular de Caracas e 18.751 pela seção consular de Valência). Nas eleições presidenciais do ano 2016 votaram 1.285 pessoas na Venezuela, das 19.802 inscritas no recenseamento eleitoral. A participação foi de 6,49%, para uma abstenção de 93,51%.