PSD protesta devido à não convocatória de Emanuel Pombo para o mundial de downhill

O PSD-Madeira apresentou um voto de protesto intitulado à Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), devido à exclusão de Emanuel Pombo, atleta madeirense, na prova do campeonato do mundo de downhill.  Num documento do grupo parlamentar do partido, o PSD refere o “desrespeito” da FPC pelo madeirense, criticando a não convocação de Emanuel Pombo, justificando que o madeirense detém um “palmarés ímpar ao nível nacional em downhill e enduro”, com uma “projeção internacional ao mais alto nível”.  O partido fala ainda nos 10 títulos nacionais alcançados, sendo o “único atleta nacional detentor do nível A da elite de BTT Cross Country e Downhill”. “Ainda recentemente o Emanuel e a sua equipa representaram Portugal no Campeonato do Mundo de E-MTB, tendo a equipa conquistado o segundo lugar nesta variante, ficando o nosso País só atrás da Suíça e à frente da França, grandes potências nesta modalidade”, relembrou o grupo parlamentar do PSD-Madeira.  O partido lembrou ainda que o estatuto do BTT em Portugal, muito se deve ao trabalho de Emanuel Pombo.  “No BTT, o Downhill é a única modalidade em que Portugal tem ranking nos campeonatos do mundo para participar com atletas nacionais, fruto do muito trabalho e dedicação que o Emanuel dedica à modalidade e pelos resultados que ano após ano tem conquistado para o nosso país”, refere o PSD, adiantando que os custos de participação são suportados pelo próprio atleta.  “Aliás o atleta madeirense tem encontrado sempre muita resistência da parte da Federação em reconhecer o seu valor e o seu trabalho, sendo por norma difícil conseguir apoio por parte da FPC para as suas participações internacionais”, continua o partido, criticando a FPC, classificando esta situação “de muito grave” e que lesa “um atleta que “somou títulos atrás de títulos” mas que “nunca se sentiu verdadeiramente acarinhado e apoiado pela Federação Portuguesa de Ciclismo”.  Por isso, o PSD em articulação com a Assembleia Legislativa da Madeira aprova o voto de protesto, aludindo a uma “atitude discriminatória com o atleta madeirense” e “solicita à Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto que analise esta situação e que diligencie todas as démarches necessárias para que se apurem os factos da decisão da FPC e para que o atleta não seja prejudicado na próxima época nos apoios a que tem direito por via do Instituto Português do Desporto e Juventude”.

PSD protesta devido à não convocatória de Emanuel Pombo para o mundial de downhill
O PSD-Madeira apresentou um voto de protesto intitulado à Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), devido à exclusão de Emanuel Pombo, atleta madeirense, na prova do campeonato do mundo de downhill.  Num documento do grupo parlamentar do partido, o PSD refere o “desrespeito” da FPC pelo madeirense, criticando a não convocação de Emanuel Pombo, justificando que o madeirense detém um “palmarés ímpar ao nível nacional em downhill e enduro”, com uma “projeção internacional ao mais alto nível”.  O partido fala ainda nos 10 títulos nacionais alcançados, sendo o “único atleta nacional detentor do nível A da elite de BTT Cross Country e Downhill”. “Ainda recentemente o Emanuel e a sua equipa representaram Portugal no Campeonato do Mundo de E-MTB, tendo a equipa conquistado o segundo lugar nesta variante, ficando o nosso País só atrás da Suíça e à frente da França, grandes potências nesta modalidade”, relembrou o grupo parlamentar do PSD-Madeira.  O partido lembrou ainda que o estatuto do BTT em Portugal, muito se deve ao trabalho de Emanuel Pombo.  “No BTT, o Downhill é a única modalidade em que Portugal tem ranking nos campeonatos do mundo para participar com atletas nacionais, fruto do muito trabalho e dedicação que o Emanuel dedica à modalidade e pelos resultados que ano após ano tem conquistado para o nosso país”, refere o PSD, adiantando que os custos de participação são suportados pelo próprio atleta.  “Aliás o atleta madeirense tem encontrado sempre muita resistência da parte da Federação em reconhecer o seu valor e o seu trabalho, sendo por norma difícil conseguir apoio por parte da FPC para as suas participações internacionais”, continua o partido, criticando a FPC, classificando esta situação “de muito grave” e que lesa “um atleta que “somou títulos atrás de títulos” mas que “nunca se sentiu verdadeiramente acarinhado e apoiado pela Federação Portuguesa de Ciclismo”.  Por isso, o PSD em articulação com a Assembleia Legislativa da Madeira aprova o voto de protesto, aludindo a uma “atitude discriminatória com o atleta madeirense” e “solicita à Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto que analise esta situação e que diligencie todas as démarches necessárias para que se apurem os factos da decisão da FPC e para que o atleta não seja prejudicado na próxima época nos apoios a que tem direito por via do Instituto Português do Desporto e Juventude”.