PTP critica "monopólio vergonhoso" no transporte de mercadorias

A candidatura do PTP às regionais da Madeira contestou hoje o “monopólio vergonhoso” do transporte de mercadorias para a região, criticando o grupo económico responsável por ser um “vampiro” para a economia e as famílias madeirenses. “As empresas...

PTP critica "monopólio vergonhoso" no transporte de mercadorias
A candidatura do PTP às regionais da Madeira contestou hoje o “monopólio vergonhoso” do transporte de mercadorias para a região, criticando o grupo económico responsável por ser um “vampiro” para a economia e as famílias madeirenses. “As empresas e os consumidores madeirenses pagam uma verdadeira fortuna pelos produtos que consomem devido ao monopólio vergonhoso que existe na região”, disse o candidato Gil Canha (quarto na lista do Partido Trabalhista), numa iniciativa de campanha eleitoral realizada no Funchal, junto das instalações da Empresa de Cerveja da Madeira. O candidato recordou que o administrador da cervejeira já referiu publicamente que “enviar um contentor da Madeira para o continente custa 1.800 euros, mas esse mesmo contentor de Lisboa para a China custava 600 euros”. O próprio responsável da empresa, sublinhou o candidato, declarou que “alguma coisa estava errada” nos transportes de mercadorias da região, que estão nas mãos do grupo Sousa. “E vemos o PS, o PSD e o CDS sempre a apoiar as políticas monopolistas deste grupo”, sublinhou Gil Canha, que foi deputado do PND na Assembleia Legislativa da Madeira, passando a independente quando o partido foi extinto. No entender da candidatura do PTP, esta situação “é uma vergonha, um descalabro”. A candidatura apelou aos eleitores para “não continuarem a votar nesta gente que apoia as pessoas que estão à frente destas empresas e são verdadeiros vampiros da economia e das famílias madeirenses”. O candidato salientou que, para acabar com o problema, “se for necessário os deputados do PTP tomarem alguma decisão na formação governativa”, estão determinados a “não apoiar nenhum governo se não acabasse imediatamente com esta pouca vergonha”. “Era medida número um: nenhum governo podia ser formado nesta região sem que acabasse com aquele escândalo que existe no Porto do Caniçal e contra a catalisação de preços para a Madeira”, concluiu. As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem em 22 de setembro, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional. PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único. Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta – com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.