“Qualquer instrumento que permita aprofundar o papel das autonomias é bem-vindo”

 “Qualquer instrumento que permita aprofundar o que é o papel das autonomias é bem-vindo”. Foi dessa forma que Carlos Pereira comentou a criação do conselho de concertação para as autonomias regionais, que faz parte do programa eleitoral do...

“Qualquer instrumento que permita aprofundar o papel das autonomias é bem-vindo”
 “Qualquer instrumento que permita aprofundar o que é o papel das autonomias é bem-vindo”. Foi dessa forma que Carlos Pereira comentou a criação do conselho de concertação para as autonomias regionais, que faz parte do programa eleitoral do Partido Socialista, aprovado pela Convenção Nacional dos socialistas. Admitindo desconhecer a medida preconizada por António Costa, e que faz manchete da edição de hoje do JM, o novamente candidato a deputado do PS/M também não sabe se o conselho de concertação será o suficiente. Mas entende que “a grande questão e o segredo estão nas Regiões e não no continente. Deve ser daqui que nos devemos mobilizar, numa lógica de consensos naquilo que é verdadeiramente importante no que nos une”, sem que os partidos percam a sua identidade. Da sua parte, e como candidato, propõe-se a construir, “a partir da Madeira, um caminho para chegarmos à autonomia plena”. Quanto ao facto de o modelo previsto por Costa apontar para a integração de membros dos governos regional e nacional, Carlos Pereira comentou ser “o mínimo”. A seu ver, “os eleitos para a Assembleia da República e para a Assembleia Legislativa da Madeira também têm de ter um papel e participar nestas matérias, porque são eles que são eleitos pela população”.