São Roque ‘de prata’ na Taça apesar das “limitações”

O Clube Desportivo São Roque foi vice-campeão da Taça de Portugal em ténis de mesa (masculinos), no passado fim de semana, após perder diante do GD Toledos. Numa prova em que já foi vencedor por sete vezes, a equipa madeirense apresentou-se com limitações, sem dois dos seus atletas de grande influência, o experiente Nuno Henriques e ainda Zhao Tianming. Estas ausências têm tido influência na época dos san-roquinos, conforme realçaram o treinador António Jorge e ainda o presidente Renato Gouveia, que referiram que a época tem sido atípica, devido às lesões e, claro, também por via da pandemia de covid-19. Mas, relembrando a final da Taça de Portugal, o CD São Roque partiu para esta prova um pouco na expectativa, fruto da época inconstante que tem vindo a fazer no campeonato nacional da 1.ª divisão, que, como se sabe, esteve sem competir durante meses devido às restrições ligadas à covid-19. Mas, apesar das lesões, Jide Ogidiolu, Joni Pereira e Tiago Li tiveram uma prestação muito positiva, levando a equipa à final da Taça de Portugal, perdendo para a formação açoriana do Toledos. Para chegar ao jogo derradeiro, recorde-se que o CD São Roque afastou o Ala de Gondomar, o Sebastianense e o Guilhabreu. Na final, o São Roque entrou a vencer através de Tiago Li, que derrotou por 3-2 Diogo Silva, para depois a formação picoense empatar a partida, após vitória de Énio Mendes frente a Joni Pereira por 3-0. A reviravolta da equipa dos Açores veio no par, que venceu por 3-1, e de seguida João Seduvem impôs-se a Joni Pereira, dando a Taça de Portugal ao Toledos. Em suma, fica o registo de muito bom nível do CD São Roque nesta Taça de Portugal, um ‘tónico’ que certamente servirá para enfrentar o resto da época na I divisão nacional de ténis de mesa.

São Roque ‘de prata’ na Taça apesar das “limitações”
O Clube Desportivo São Roque foi vice-campeão da Taça de Portugal em ténis de mesa (masculinos), no passado fim de semana, após perder diante do GD Toledos. Numa prova em que já foi vencedor por sete vezes, a equipa madeirense apresentou-se com limitações, sem dois dos seus atletas de grande influência, o experiente Nuno Henriques e ainda Zhao Tianming. Estas ausências têm tido influência na época dos san-roquinos, conforme realçaram o treinador António Jorge e ainda o presidente Renato Gouveia, que referiram que a época tem sido atípica, devido às lesões e, claro, também por via da pandemia de covid-19. Mas, relembrando a final da Taça de Portugal, o CD São Roque partiu para esta prova um pouco na expectativa, fruto da época inconstante que tem vindo a fazer no campeonato nacional da 1.ª divisão, que, como se sabe, esteve sem competir durante meses devido às restrições ligadas à covid-19. Mas, apesar das lesões, Jide Ogidiolu, Joni Pereira e Tiago Li tiveram uma prestação muito positiva, levando a equipa à final da Taça de Portugal, perdendo para a formação açoriana do Toledos. Para chegar ao jogo derradeiro, recorde-se que o CD São Roque afastou o Ala de Gondomar, o Sebastianense e o Guilhabreu. Na final, o São Roque entrou a vencer através de Tiago Li, que derrotou por 3-2 Diogo Silva, para depois a formação picoense empatar a partida, após vitória de Énio Mendes frente a Joni Pereira por 3-0. A reviravolta da equipa dos Açores veio no par, que venceu por 3-1, e de seguida João Seduvem impôs-se a Joni Pereira, dando a Taça de Portugal ao Toledos. Em suma, fica o registo de muito bom nível do CD São Roque nesta Taça de Portugal, um ‘tónico’ que certamente servirá para enfrentar o resto da época na I divisão nacional de ténis de mesa.