“Silenciar o Governo” no Dia da Cidade “é um completo desrespeito institucional”

“Desta vez vai ser um Pedro Calado calado, sem palavras”, afirmou o vice-presidente do Governo Regional à chegada da sessão solene do Dia da Cidade, que decorre no Teatro Municipal Baltazar Dias.  O ‘vice’ de Miguel Albuquerque, que participa, sem direito a discursar, nas comemorações no aniversário da cidade do Funchal, lamenta a “atitude inqualificável” da Câmara Municipal do Funchal por “silenciar o Governo numa cerimónia destas”, considerando o impedimento como "um completo desrespeito institucional".  “Esta situação é anedótica e patética, até porque estamos num período de pandemia e fazer uma mudança duma cerimónia que era feita ao ar livre, com toda a segurança, para um recinto dentro do Teatro Municipal”, surge “até em desrespeito” para com as normas da autoridade regional de saúde, criticou ainda Pedro Calado, em declarações aos jornalistas.  

“Silenciar o Governo” no Dia da Cidade “é um completo desrespeito institucional”
“Desta vez vai ser um Pedro Calado calado, sem palavras”, afirmou o vice-presidente do Governo Regional à chegada da sessão solene do Dia da Cidade, que decorre no Teatro Municipal Baltazar Dias.  O ‘vice’ de Miguel Albuquerque, que participa, sem direito a discursar, nas comemorações no aniversário da cidade do Funchal, lamenta a “atitude inqualificável” da Câmara Municipal do Funchal por “silenciar o Governo numa cerimónia destas”, considerando o impedimento como "um completo desrespeito institucional".  “Esta situação é anedótica e patética, até porque estamos num período de pandemia e fazer uma mudança duma cerimónia que era feita ao ar livre, com toda a segurança, para um recinto dentro do Teatro Municipal”, surge “até em desrespeito” para com as normas da autoridade regional de saúde, criticou ainda Pedro Calado, em declarações aos jornalistas.