Sindicato do Jornalistas considera ser "urgente" apoiar jornalismo regional

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) recebeu, nos últimos dias, "relatos angustiantes" do que está a acontecer na imprensa regional e, por essa razão, considera urgente apoiar o setor. Através de comunicado, o Sindicato diz que "a maioria dos jornais locais e regionais vivia, há muitos anos, no fio da navalha, mas a pandemia e o estado de emergência aceleraram a queda, que foi brusca e rápida: uma boa parte dos títulos suspendeu já a publicação". "Não se trata apenas de um problema laboral, com centenas ou milhares de jornalistas a caminhar para o desemprego, a seguir a um eventual lay-off. A maioria dos assinantes da imprensa local e regional cabe na população envelhecida de cada região, que assim ficará ainda mais isolada da realidade que a circunda", considera o sindicato, salientando que considera "ser urgente criar medidas de apoio, quer ao nível do Governo quer das autarquias, no sentido de garantir a sobrevivência de jornais e rádios locais". "Muitos sobrevivem de publicidade (a cargo sobretudo do comércio), assinaturas e vendas em banca. É, pois, urgente fazer cumprir a lei da publicidade institucional, fazendo-a chegar aos media regionais", afirma. Entretanto, o SJ apela a todos os jornalistas espalhados pelo país que reportem, para o email [email protected], os casos de suspensão de publicações, despedimentos (como já está a acontecer também) ou qualquer aproveitamento ou situação abusiva por parte das entidades empregadoras.

Sindicato do Jornalistas considera ser "urgente" apoiar jornalismo regional
O Sindicato dos Jornalistas (SJ) recebeu, nos últimos dias, "relatos angustiantes" do que está a acontecer na imprensa regional e, por essa razão, considera urgente apoiar o setor. Através de comunicado, o Sindicato diz que "a maioria dos jornais locais e regionais vivia, há muitos anos, no fio da navalha, mas a pandemia e o estado de emergência aceleraram a queda, que foi brusca e rápida: uma boa parte dos títulos suspendeu já a publicação". "Não se trata apenas de um problema laboral, com centenas ou milhares de jornalistas a caminhar para o desemprego, a seguir a um eventual lay-off. A maioria dos assinantes da imprensa local e regional cabe na população envelhecida de cada região, que assim ficará ainda mais isolada da realidade que a circunda", considera o sindicato, salientando que considera "ser urgente criar medidas de apoio, quer ao nível do Governo quer das autarquias, no sentido de garantir a sobrevivência de jornais e rádios locais". "Muitos sobrevivem de publicidade (a cargo sobretudo do comércio), assinaturas e vendas em banca. É, pois, urgente fazer cumprir a lei da publicidade institucional, fazendo-a chegar aos media regionais", afirma. Entretanto, o SJ apela a todos os jornalistas espalhados pelo país que reportem, para o email [email protected], os casos de suspensão de publicações, despedimentos (como já está a acontecer também) ou qualquer aproveitamento ou situação abusiva por parte das entidades empregadoras.