Sindicato dos Jornalistas alerta para conteúdos que ameaçam independência da imprensa regional

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) refere em nota que tem sido confrontado, nas últimas semanas, com vários casos de "subsídio" ou "conteúdos patrocinados" na imprensa regional que põem em causa a independência e a liberdade de ação de jornais e jornalistas. “Na sequência da pandemia, e da quebra de receitas que levou alguns jornais a suspender a publicação, ou a diminuir o número de páginas, diversos municípios decidiram apoiar financeiramente os media locais”, escreve o SJ na referida nota. “Porém, ao invés de o fazerem através de publicidade e/ou assinaturas, ou mesmo compra de exemplares (no caso da imprensa escrita), algumas Câmaras acordaram com as direções dos órgãos de informação locais uma contrapartida em forma de "conteúdos jornalísticos", num registo que facilmente se pode tornar promíscuo, dependente e pouco ético”, acrescenta. O SJ exorta, deste modo, os jornalistas a denunciarem junto das estruturas competentes, nomeadamente o Conselho Deontológico, sempre que se verifique alguma tentativa de coação para que produzam os referidos conteúdos (notícias, entrevistas, reportagens). O SJ lembra ainda que “as autarquias que o apoio dado aos media locais não pode significar, em caso algum, a exigência de contrapartidas ou interferência nos conteúdos editoriais”.  

Sindicato dos Jornalistas alerta para conteúdos que ameaçam independência da imprensa regional
O Sindicato dos Jornalistas (SJ) refere em nota que tem sido confrontado, nas últimas semanas, com vários casos de "subsídio" ou "conteúdos patrocinados" na imprensa regional que põem em causa a independência e a liberdade de ação de jornais e jornalistas. “Na sequência da pandemia, e da quebra de receitas que levou alguns jornais a suspender a publicação, ou a diminuir o número de páginas, diversos municípios decidiram apoiar financeiramente os media locais”, escreve o SJ na referida nota. “Porém, ao invés de o fazerem através de publicidade e/ou assinaturas, ou mesmo compra de exemplares (no caso da imprensa escrita), algumas Câmaras acordaram com as direções dos órgãos de informação locais uma contrapartida em forma de "conteúdos jornalísticos", num registo que facilmente se pode tornar promíscuo, dependente e pouco ético”, acrescenta. O SJ exorta, deste modo, os jornalistas a denunciarem junto das estruturas competentes, nomeadamente o Conselho Deontológico, sempre que se verifique alguma tentativa de coação para que produzam os referidos conteúdos (notícias, entrevistas, reportagens). O SJ lembra ainda que “as autarquias que o apoio dado aos media locais não pode significar, em caso algum, a exigência de contrapartidas ou interferência nos conteúdos editoriais”.