“Temos que diversificar a nossa economia”, alerta Abílio Martins

Após a intervenção de Sérgio Gonçalves, arrancaram já os trabalhos nos primeiros Estados Gerais do PS-Madeira, no Centro de Congressos da Madeira A sessão começou com a temática ‘Uma Economia com Autonomia e Futuro’, reunindo um primeiro painel constituído por António Sarmento, presidente da WaVEC Offshore Renewables, José Manuel Marques, especialista em planeamento e ordenamento do espaço marítimo, Frederico Serras Gago gestor e fundador da Front Capital, foi ‘convocado para abordar a temática ‘Uma Economia com Autonomia e Futuro’, e ainda Sérgio Ávila, deputado à Assembleia da República e antigo vice-presidente do Governo Regional dos Açores. A moderação está a cargo de Abílio Martins, gestor e ex-membro da direção do Fórum Oceano. “O mar se for agregado de uma forma consistente, certamente que as oportunidades que nos oferece serão mais robustas e muito importantes para a economia portuguesa”, conforme apresentou a temática, acentuando a extrema necessidade de “diversificar a nossa economia. E temos de ter essa capacidade de nos diferenciar”, relevou Abílio Martins.

“Temos que diversificar a nossa economia”, alerta Abílio Martins
Após a intervenção de Sérgio Gonçalves, arrancaram já os trabalhos nos primeiros Estados Gerais do PS-Madeira, no Centro de Congressos da Madeira A sessão começou com a temática ‘Uma Economia com Autonomia e Futuro’, reunindo um primeiro painel constituído por António Sarmento, presidente da WaVEC Offshore Renewables, José Manuel Marques, especialista em planeamento e ordenamento do espaço marítimo, Frederico Serras Gago gestor e fundador da Front Capital, foi ‘convocado para abordar a temática ‘Uma Economia com Autonomia e Futuro’, e ainda Sérgio Ávila, deputado à Assembleia da República e antigo vice-presidente do Governo Regional dos Açores. A moderação está a cargo de Abílio Martins, gestor e ex-membro da direção do Fórum Oceano. “O mar se for agregado de uma forma consistente, certamente que as oportunidades que nos oferece serão mais robustas e muito importantes para a economia portuguesa”, conforme apresentou a temática, acentuando a extrema necessidade de “diversificar a nossa economia. E temos de ter essa capacidade de nos diferenciar”, relevou Abílio Martins.