Tiroteio numa prisão provoca 14 mortos e 11 feridos

Um tiroteio entre detidos numa prisão do Panamá ocorrido na terça-feira provocou 14 mortos e mais de uma dezena de feridos entre os prisioneiros, de acordo com um balanço divulgado hoje pelo Governo panamiano. “Após a rixa de ontem [terça-feira]...

Tiroteio numa prisão provoca 14 mortos e 11 feridos
Um tiroteio entre detidos numa prisão do Panamá ocorrido na terça-feira provocou 14 mortos e mais de uma dezena de feridos entre os prisioneiros, de acordo com um balanço divulgado hoje pelo Governo panamiano. “Após a rixa de ontem [terça-feira] no pavilhão 14 do centro penitenciário de Joyita, anunciamos que até ao momento morreram 14 detidos”, escreveu no Twitter o ministro do Interior, que se referiu ainda a 11 feridos. Um anterior balanço de Alexis Muñoz, diretor-geral adjunto da polícia panamiana, referia-se a 12 mortos e 13 feridos. O incidente ocorreu num pavilhão do centro penitenciário de La Joiita, 36 quilómetros a leste da Cidade do Panamá, a capital. Os motivos dos disparos com armas de fogo “foram os conflitos entre os detidos”, indicou Muñoz. “É triste e lamentável que os jovens deste país entrem em conflito por territórios, por atividades de narcotráfico ou pelo poder”, comentou. Inicialmente, o Governo tinha referido em comunicado que não se registaram feridos entre os funcionários da prisão, e que estava retomado o controlo da situação. O Presidente do Panamá, Laurentino Cortizo, reagiu ao tiroteio para sublinhar a necessidade de garantir a segurança nas prisões do país. Cortizo declarou que há algumas semanas foi efetuada uma vistoria ao estabelecimento, que permitiu a descoberta de diversas armas. “Isso significa que é possível fazer entrar armas na prisão, mas não vamos permiti-lo”, assegurou. O comunicado do Governo indica que “os responsáveis do incidente” vão ser transferidos e isolados para evitar novos atos de violência. Foi aberto um inquérito. Segundo o Governo, após o tiroteio foram descobertas cinco pistolas e três armas. No Panamá, os cerca de 17.000 detidos estão distribuídos por 20 estabelecimentos prisionais, de acordo com os últimos números oficiais. La Joyita, com 3.700 detidos, é o centro penitenciário com mais população prisional a par de La Nueva Joya. Ambos estão situadas na localidade de Pacora, não longe da capital.