UE mobiliza doadores internacionais para apoiar refugiados e migrantes venezuelanos

A União Europeia e o Governo espanhol organizaram hoje a Conferência Internacional de Doadores, num gesto de solidariedade para com os refugiados e migrantes venezuelanos e os países da região, com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM). Os doadores internacionais comprometeram-se a afetar um total de 2,544 mil milhões de euros (dos quais 595 milhões em doações), com a União Europeia e seus Estados-Membros mobilizando 231,7 milhões de euros em financiamento de doações. A Comissão Europeia comprometeu-se a disponibilizar 144,2 milhões de euros para ajuda humanitária imediata, ajuda ao desenvolvimento a médio e longo prazo e intervenções de prevenção de conflitos. O Banco Europeu de Investimento anunciou empréstimos adicionais à região no valor de 400 milhões de euros. Segundo o alto representante/vice-presidente, Josep Borrell, "A União Europeia nunca esqueceu o povo venezuelano. Hoje, mobilizámos a comunidade internacional para conceder mais ajuda a milhões de venezuelanos deslocados e aos países da América Latina que os acolhem. Gostaria de agradecer aos doadores internacionais as suas generosas promessas." Hoje, conseguimos trazer de volta para o centro das atenções uma das piores crises de deslocação de pessoas a que o mundo assistiu na história recente. O comissário da Gestão de Crises, Janez Lenarčič, acrescentou: "A pandemia de  covid-19 ameaça agravar a situação já crítica que se vive na região. O apoio humanitário da UE contribuirá para concentrar os esforços no encaminhamento de ajuda de emergência para os cerca de 5 milhões de venezuelanos que se viram forçados a abandonar as suas casas". Jutta Urpilainen, comissária das Parcerias Internacionais, afirmou: "O nosso compromisso coletivo demonstra a importância de criar parcerias a nível mundial para enfrentar desafios como a crise migratória venezuelana, igualmente durante a pandemia de covid-19. Prosseguiremos os nossos esforços para consolidar a ligação entre ajuda humanitária e ajuda ao desenvolvimento e construir parcerias duradouras em prol do desenvolvimento sustentável".

UE mobiliza doadores internacionais para apoiar refugiados e migrantes venezuelanos
A União Europeia e o Governo espanhol organizaram hoje a Conferência Internacional de Doadores, num gesto de solidariedade para com os refugiados e migrantes venezuelanos e os países da região, com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM). Os doadores internacionais comprometeram-se a afetar um total de 2,544 mil milhões de euros (dos quais 595 milhões em doações), com a União Europeia e seus Estados-Membros mobilizando 231,7 milhões de euros em financiamento de doações. A Comissão Europeia comprometeu-se a disponibilizar 144,2 milhões de euros para ajuda humanitária imediata, ajuda ao desenvolvimento a médio e longo prazo e intervenções de prevenção de conflitos. O Banco Europeu de Investimento anunciou empréstimos adicionais à região no valor de 400 milhões de euros. Segundo o alto representante/vice-presidente, Josep Borrell, "A União Europeia nunca esqueceu o povo venezuelano. Hoje, mobilizámos a comunidade internacional para conceder mais ajuda a milhões de venezuelanos deslocados e aos países da América Latina que os acolhem. Gostaria de agradecer aos doadores internacionais as suas generosas promessas." Hoje, conseguimos trazer de volta para o centro das atenções uma das piores crises de deslocação de pessoas a que o mundo assistiu na história recente. O comissário da Gestão de Crises, Janez Lenarčič, acrescentou: "A pandemia de  covid-19 ameaça agravar a situação já crítica que se vive na região. O apoio humanitário da UE contribuirá para concentrar os esforços no encaminhamento de ajuda de emergência para os cerca de 5 milhões de venezuelanos que se viram forçados a abandonar as suas casas". Jutta Urpilainen, comissária das Parcerias Internacionais, afirmou: "O nosso compromisso coletivo demonstra a importância de criar parcerias a nível mundial para enfrentar desafios como a crise migratória venezuelana, igualmente durante a pandemia de covid-19. Prosseguiremos os nossos esforços para consolidar a ligação entre ajuda humanitária e ajuda ao desenvolvimento e construir parcerias duradouras em prol do desenvolvimento sustentável".