USAM leva carta reivindicativa ao Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira recebeu hoje, numa audiência de apresentação de cumprimentos, a nova direção da USAM – União dos Sindicatos da Madeira. Em comunicado enviado às redações, no encontro, o coordenador da USAM explicou os 27 pontos da Carta Reivindicativa aprovada no congresso de outubro, que elegeu os novos dirigentes. O aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) para 850 euros “com um acréscimo de 7,5% na Região”, “a redução do horário de trabalho para as 35 horas semanais para todos os trabalhadores” e “25 dias de férias para todos”, foram alguns dos pontos destacados por Alexandre Fernandes. A União dos Sindicatos pede também um aumento imediato de 90 euros no salário de todos os trabalhadores, nos setores público e privado, assim como a “reposição direta da idade da reforma nos 65 anos ou aos 40 anos (de descontos), independentemente da idade da reforma”, referiu. Da Carta Reivindicativa da USAM consta também um subsídio de insularidade para todos os trabalhadores. A reunião serviu ainda para uma troca de impressões sobre a crise que está a ser provocada pela pandemia da Covid-19. Alexandre Fernandes considera que faltam “medidas específicas de proteção do emprego”, como a “a proibição de despedimentos numa situação que ninguém estava à espera”. Os sindicalistas rogaram também o respeito pelos prazos nos pedidos de pareceres dirigidos à USAM pelas Comissões Especializadas do parlamento madeirense. O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira prometeu transmitir os alertas e as revindicações aos grupos parlamentares. José Manuel Rodrigues mostrou-se ainda preocupado com os efeitos económicos e sociais da pandemia na Região e desejou à nova direção as maiores felicidades.

USAM leva carta reivindicativa ao Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira
O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira recebeu hoje, numa audiência de apresentação de cumprimentos, a nova direção da USAM – União dos Sindicatos da Madeira. Em comunicado enviado às redações, no encontro, o coordenador da USAM explicou os 27 pontos da Carta Reivindicativa aprovada no congresso de outubro, que elegeu os novos dirigentes. O aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) para 850 euros “com um acréscimo de 7,5% na Região”, “a redução do horário de trabalho para as 35 horas semanais para todos os trabalhadores” e “25 dias de férias para todos”, foram alguns dos pontos destacados por Alexandre Fernandes. A União dos Sindicatos pede também um aumento imediato de 90 euros no salário de todos os trabalhadores, nos setores público e privado, assim como a “reposição direta da idade da reforma nos 65 anos ou aos 40 anos (de descontos), independentemente da idade da reforma”, referiu. Da Carta Reivindicativa da USAM consta também um subsídio de insularidade para todos os trabalhadores. A reunião serviu ainda para uma troca de impressões sobre a crise que está a ser provocada pela pandemia da Covid-19. Alexandre Fernandes considera que faltam “medidas específicas de proteção do emprego”, como a “a proibição de despedimentos numa situação que ninguém estava à espera”. Os sindicalistas rogaram também o respeito pelos prazos nos pedidos de pareceres dirigidos à USAM pelas Comissões Especializadas do parlamento madeirense. O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira prometeu transmitir os alertas e as revindicações aos grupos parlamentares. José Manuel Rodrigues mostrou-se ainda preocupado com os efeitos económicos e sociais da pandemia na Região e desejou à nova direção as maiores felicidades.