Venezuela: Morreu antigo vice-Presidente José Vicente Rangel

O antigo vice-Presidente da Venezuela, José Vicente rangel, morreu hoje em Caracas aos 91 anos de idade, confirmaram membros da sua família. “No dia de hoje, 18 de dezembro de 2020, devido a uma paragem respiratória, faleceu um lutador incansável, o nosso amado José Vicente Rangel Vale. Paz à sua alma”, escreveram os familiares na rede social Twitter. A morte de José Vicente Rangel, que além de político de esquerda era também jornalista e advogado, teve lugar depois de nos últimos dias a imprensa venezuelana ter dado conta de que a sua saúde se teria deteriorado nos últimos meses devido à idade avançada. Entre 1960 e 1980, José Vicente Rangel destacou-se como dirigente ativo dos movimentos e organizações políticas de esquerda União Republicana Democrática (URD, extinto), ‎Movimento Eleitoral do Povo – Partido Socialista de Venezuela (MEP - PSV), Movimento ao Socialismo (MAS). Vicente Rangel integrou ainda o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo do falecido Presidente Hugo Chávez e do seu sucessor Nicolás Maduro). Foi ministro de Relações Exteriores da Venezuela (1999 – 2001) e o primeiro civil venezuelano a exercer funções como ministro da Defesa (2001-2004) e vice-Presidente da Venezuela (2002 – 2007) do falecido líder socialista Hugo Chávez, que presidiu entre 1999 e 2013. Com uma relação muito próxima com empresários madeirenses, inaugurou em fevereiro de 2000, em conjunto com o ex-presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, um busto de bronze do Libertador Simón Bolívar (1783-1830, político venezuelano que se destacou na luta pela independência da Venezuela, naquela região autónoma portuguesa. Em 2006 convidou o então primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, a visitar a Venezuela, uma visita que se concretizou em abril de 2008. Em Caracas, reuniu-se com vários políticos portugueses, durante visitas à comunidade local, entre eles o ex-secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga. Como jornalista, dirigiu os diários La Razón e El Clarín, e escreveu vários artigos de opinião para os diários venezuelanos El Universal, Panorama e o diário 2001. Desde 1990 destacou-se como entrevistador e produtor do polémico programa de televisão “José Vicente Hoy” (José Vicente Hoje). Distinguido em duas oportunidades com o Prémio Nacional de Jornalistas, Vicente Rangel escreveu vários livros entre eles o “Expediente Negro” com investigações a alegadas violações dos Direitos Humanos ocorridas no país entre 1960 e 1970.

Venezuela: Morreu antigo vice-Presidente José Vicente Rangel
O antigo vice-Presidente da Venezuela, José Vicente rangel, morreu hoje em Caracas aos 91 anos de idade, confirmaram membros da sua família. “No dia de hoje, 18 de dezembro de 2020, devido a uma paragem respiratória, faleceu um lutador incansável, o nosso amado José Vicente Rangel Vale. Paz à sua alma”, escreveram os familiares na rede social Twitter. A morte de José Vicente Rangel, que além de político de esquerda era também jornalista e advogado, teve lugar depois de nos últimos dias a imprensa venezuelana ter dado conta de que a sua saúde se teria deteriorado nos últimos meses devido à idade avançada. Entre 1960 e 1980, José Vicente Rangel destacou-se como dirigente ativo dos movimentos e organizações políticas de esquerda União Republicana Democrática (URD, extinto), ‎Movimento Eleitoral do Povo – Partido Socialista de Venezuela (MEP - PSV), Movimento ao Socialismo (MAS). Vicente Rangel integrou ainda o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo do falecido Presidente Hugo Chávez e do seu sucessor Nicolás Maduro). Foi ministro de Relações Exteriores da Venezuela (1999 – 2001) e o primeiro civil venezuelano a exercer funções como ministro da Defesa (2001-2004) e vice-Presidente da Venezuela (2002 – 2007) do falecido líder socialista Hugo Chávez, que presidiu entre 1999 e 2013. Com uma relação muito próxima com empresários madeirenses, inaugurou em fevereiro de 2000, em conjunto com o ex-presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, um busto de bronze do Libertador Simón Bolívar (1783-1830, político venezuelano que se destacou na luta pela independência da Venezuela, naquela região autónoma portuguesa. Em 2006 convidou o então primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, a visitar a Venezuela, uma visita que se concretizou em abril de 2008. Em Caracas, reuniu-se com vários políticos portugueses, durante visitas à comunidade local, entre eles o ex-secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga. Como jornalista, dirigiu os diários La Razón e El Clarín, e escreveu vários artigos de opinião para os diários venezuelanos El Universal, Panorama e o diário 2001. Desde 1990 destacou-se como entrevistador e produtor do polémico programa de televisão “José Vicente Hoy” (José Vicente Hoje). Distinguido em duas oportunidades com o Prémio Nacional de Jornalistas, Vicente Rangel escreveu vários livros entre eles o “Expediente Negro” com investigações a alegadas violações dos Direitos Humanos ocorridas no país entre 1960 e 1970.