14 polícias mortos em ataque realizado por cartel de Jalisco no México

Um total de 14 polícias foram hoje mortos num ataque realizado e reivindicado pelo cartel de Jalisco Nova Geração no Estado mexicano de Michoacán, anunciou o Ministério de Segurança Pública do país. De acordo com os meios de comunicação locais,...

14 polícias mortos em ataque realizado por cartel de Jalisco no México
Um total de 14 polícias foram hoje mortos num ataque realizado e reivindicado pelo cartel de Jalisco Nova Geração no Estado mexicano de Michoacán, anunciou o Ministério de Segurança Pública do país. De acordo com os meios de comunicação locais, as autoridades responderam a um pedido de socorro e na chegada ao local foram atacados por homens armados. "Catorze polícias morreram no ataque que ocorreu na cidade de Aguililla", disse o ministro da Segurança Pública na sua conta da rede social Twitter. Na mesma publicação, o ministro afirmou que está "em comunicação" com as autoridades estatais. "Disponibilizamos ao Governo do Estado todos os nossos recursos humanos e tecnológicos para encontrar os agressores e levá-los à justiça", afirmou a Secretaria de Segurança e Proteção Civil (SSPC) do México, dirigida por Alfonso Durazo. Aguililla localiza-se no norte de Michoacán, a cerca de 80 quilómetros do Estado de Jalisco, onde está sediada a organização criminosa que realizou este ataque, e é a terra de Nemesio Oseguera Cervantes, também conhecido como El Mencho, líder do cartel. O cartel Nova Geração, considerado pelas autoridades mexicanas como a maior organização criminosa do país, foi também responsável pelo incêndio de patrulhas e pelo roubo de armas às forças de segurança. Segundo os dados mais recentes da SSPC, entre janeiro e agosto de 2019, o país registou 23.063 assassínios. Em Michoacán, 1.192 homicídios intencionais foram registados nos primeiros oito meses, sendo que 202 deles ocorreram em agosto, o mês mais violento do ano neste Estado, um dos mais pobres do país. Em comparação com agosto de 2018, o aumento é de mais de 46,4%, resultado que coloca Michoacán em terceiro lugar quanto aos Estados que sofreram o maior aumento em número de assassínios, precedido pelos Estados de Morelos (104,2% a mais) e Sonora (52,9%). No final de 2006, o Governo mexicano iniciou uma ofensiva generalizada contra o crime organizado que, segundo várias organizações de direitos humanos, fez aumentar a violência no país. Desde então, dados oficiais informaram sobre a morte de pelo menos 250.000 pessoas, ainda que não seja possível determinar o número de mortes na luta contra o crime organizado.