4 géneros de cinema

4 géneros de cinema que parecem demasiado estranhos para ser reais A sétima arte apaixona milhões de fãs em todo o mundo e já faz parte da vida de cada um de nós. Em Los Angeles celebram-se filmes feitos na longínqua Coreia do Sul, na Índia produzem-se mais de 1,000 filmes novos todos os anos, e na Madeira o cinema é utilizado para combater o racismo. Filmes e actores existem para todos os gostos; alguns preferem o calor de um filme de comédia, outros as emoções fortes de um filme de horror, e outros um blockbuster recheado de acção e efeitos especiais. Mas será que existem filmes que são demasiado estranhos para sequer poderem ser alvo da nossa apreciação? Fomos à procura de géneros de cinema únicos e decidimos reunir os 4 géneros de cinema mais estranhos do mundo. Nem sequer precisamos de contabilizar os inúmeros sub-géneros do cinema de horror para conseguir uma amostra, no mínimo, bizarra. O amor pelo estranho é cada vez mais comum, mas será que você daria uma hipótese a um destes 4 géneros de cinema? Ostern Imagine um western americano comum. O cowboy honesto, a cidade pacata invadida por patifes invasores, a banda sonora bem temperada. É fácil, não é? Agora substitua cada um dos elementos típicos de um filme western pelo seu equivalente soviético. Pois, é bem mais difícil. Felizmente não é preciso imaginar para saber exactamente como seria um western soviético. Em plena Guerra Fria, a URSS investiu imenso na produção de Osterns, produções de cinema ao estilo americano mas onde John Wayne se torna em Oldrich Lipsky e onde o deserto do Arizona dá lugar à estepe siberiana. O filme mais famoso de Ostern é provavelmente "Lemonade Joe", produzido em 1964, e o género ganhou popularidade noutros países afectos à URSS, como a Checoslováquia e a Jugoslávia. Por serem inspirados em produções originárias dos Estados Unidos ou de Itália, os Osterns adquiriam frequentemente um tom irónico-satírico e eram frequentemente utilizados como propaganda política. Talvez por culpa da eleição de Gorbachev em 1985, os Osterns deixaram de ser produzidos a partir dos meados da década de 80. Bruceploitation Não, não estamos a falar de Blaxploitation, o género de cinema que celebra a cultura negra e afro-americana. Estamos mesmo a falar de Bruceploitation, um termo que diz respeito ao falecido herói de filmes de artes marciais Bruce Lee. Uma figura influente que ainda hoje continua a estar no centro de polémicas relacionadas com a sétima arte, Bruce Lee foi reanimado, relembrado, e recordado de dezenas de maneiras diferentes nos filmes de Bruceploitation que assomaram as salas de cinema durante a década de 70. Com títulos tão evidentes quanto inacreditáveis, que incluíam "Bruce Lee Fights Back From the Grave" (Bruce Lee Luta a Partir da Cova) ou "The Clones of Bruce Lee" (Os Clones de Bruce Lee), os filmes de Bruceploitation exploraram de forma descarada a popularidade de Bruce Lee, fazendo uso de actores asiáticos de estatura baixa com óculos escuros. Um semblante que até podia fazer lembrar o de Bruce Lee, mas no qual ficava a faltar o seu ímpar talento para a representação. Necrorealismo É fácil compreender aquilo de que estamos a falar quando falamos de um filme realista. Mas o que é um filme necrorealista? Depois do final da década de 70, um movimento avant-garde liderado pelo cineasta Yevgeny Yufit surgiu na Rússia. Nunca foi um movimento mobilizador de multidões: o necrorealismo foi praticado muito brevemente por um pequeno grupo de artistas experimentais, tendo-se sempre cingido aos limites geográficos da União Soviética. No entanto, os temas por detrás do necrorealismo continuam a surpreender-nos nos dias de hoje. O foco de realizadores como Yevgeny Yufit passava por expor de forma crua e concreta os horrores da morte e de todas as coisas que lhe estão associadas. E lembre-se, é necrorealismo, por isso não há zombies ou vampiros nos filmes destes artistas russos! Os necrorealistas ficaram famosos na Rússia devido às suas performances públicas em que actores imitavam processos de tortura e outros comportamentos sádicos. Ao todo, foram feitos menos de 10 filmes necrorealistas, sendo "Suicide Warthogs", de 1988, o mais famoso. Poker Movies Não existem muitos filmes de futebol, de xadrez, ou de videojogos, mas o que não falta por aí são filmes que exploram as temáticas em volta do poker! Por alguma razão, o poker é um jogo que já inspirou dezenas de filmes em Hollywood. O poker movie já é uma instituição norte-americana, e embora não seja considerado um género cinematográfico per se, não existem dúvidas de que nenhum outro jogo foi tantas vezes homenageado na sétima arte como o poker. Talvez pela sua mistura de sorte, habilidade e alto risco, o poker é uma actividade perfeita para levar personagens ao limite em enredos do grande ecrã. Os poker movies são feitos desde a década de 60 e continuam a ser bastante populares hoje em dia. O filme "Rounders", com Matt Damon, é um dos exemplos mais adequados, mas clássicos co

4 géneros de cinema que parecem demasiado estranhos para ser reais A sétima arte apaixona milhões de fãs em todo o mundo e já faz parte da vida de cada um de nós. Em Los Angeles celebram-se filmes feitos na longínqua Coreia do Sul, na Índia produzem-se mais de 1,000 filmes novos todos os anos, e na Madeira o cinema é utilizado para combater o racismo. Filmes e actores existem para todos os gostos; alguns preferem o calor de um filme de comédia, outros as emoções fortes de um filme de horror, e outros um blockbuster recheado de acção e efeitos especiais. Mas será que existem filmes que são demasiado estranhos para sequer poderem ser alvo da nossa apreciação? Fomos à procura de géneros de cinema únicos e decidimos reunir os 4 géneros de cinema mais estranhos do mundo. Nem sequer precisamos de contabilizar os inúmeros sub-géneros do cinema de horror para conseguir uma amostra, no mínimo, bizarra. O amor pelo estranho é cada vez mais comum, mas será que você daria uma hipótese a um destes 4 géneros de cinema? Ostern Imagine um western americano comum. O cowboy honesto, a cidade pacata invadida por patifes invasores, a banda sonora bem temperada. É fácil, não é? Agora substitua cada um dos elementos típicos de um filme western pelo seu equivalente soviético. Pois, é bem mais difícil. Felizmente não é preciso imaginar para saber exactamente como seria um western soviético. Em plena Guerra Fria, a URSS investiu imenso na produção de Osterns, produções de cinema ao estilo americano mas onde John Wayne se torna em Oldrich Lipsky e onde o deserto do Arizona dá lugar à estepe siberiana. O filme mais famoso de Ostern é provavelmente "Lemonade Joe", produzido em 1964, e o género ganhou popularidade noutros países afectos à URSS, como a Checoslováquia e a Jugoslávia. Por serem inspirados em produções originárias dos Estados Unidos ou de Itália, os Osterns adquiriam frequentemente um tom irónico-satírico e eram frequentemente utilizados como propaganda política. Talvez por culpa da eleição de Gorbachev em 1985, os Osterns deixaram de ser produzidos a partir dos meados da década de 80. Bruceploitation Não, não estamos a falar de Blaxploitation, o género de cinema que celebra a cultura negra e afro-americana. Estamos mesmo a falar de Bruceploitation, um termo que diz respeito ao falecido herói de filmes de artes marciais Bruce Lee. Uma figura influente que ainda hoje continua a estar no centro de polémicas relacionadas com a sétima arte, Bruce Lee foi reanimado, relembrado, e recordado de dezenas de maneiras diferentes nos filmes de Bruceploitation que assomaram as salas de cinema durante a década de 70. Com títulos tão evidentes quanto inacreditáveis, que incluíam "Bruce Lee Fights Back From the Grave" (Bruce Lee Luta a Partir da Cova) ou "The Clones of Bruce Lee" (Os Clones de Bruce Lee), os filmes de Bruceploitation exploraram de forma descarada a popularidade de Bruce Lee, fazendo uso de actores asiáticos de estatura baixa com óculos escuros. Um semblante que até podia fazer lembrar o de Bruce Lee, mas no qual ficava a faltar o seu ímpar talento para a representação. Necrorealismo É fácil compreender aquilo de que estamos a falar quando falamos de um filme realista. Mas o que é um filme necrorealista? Depois do final da década de 70, um movimento avant-garde liderado pelo cineasta Yevgeny Yufit surgiu na Rússia. Nunca foi um movimento mobilizador de multidões: o necrorealismo foi praticado muito brevemente por um pequeno grupo de artistas experimentais, tendo-se sempre cingido aos limites geográficos da União Soviética. No entanto, os temas por detrás do necrorealismo continuam a surpreender-nos nos dias de hoje. O foco de realizadores como Yevgeny Yufit passava por expor de forma crua e concreta os horrores da morte e de todas as coisas que lhe estão associadas. E lembre-se, é necrorealismo, por isso não há zombies ou vampiros nos filmes destes artistas russos! Os necrorealistas ficaram famosos na Rússia devido às suas performances públicas em que actores imitavam processos de tortura e outros comportamentos sádicos. Ao todo, foram feitos menos de 10 filmes necrorealistas, sendo "Suicide Warthogs", de 1988, o mais famoso. Poker Movies Não existem muitos filmes de futebol, de xadrez, ou de videojogos, mas o que não falta por aí são filmes que exploram as temáticas em volta do poker! Por alguma razão, o poker é um jogo que já inspirou dezenas de filmes em Hollywood. O poker movie já é uma instituição norte-americana, e embora não seja considerado um género cinematográfico per se, não existem dúvidas de que nenhum outro jogo foi tantas vezes homenageado na sétima arte como o poker. Talvez pela sua mistura de sorte, habilidade e alto risco, o poker é uma actividade perfeita para levar personagens ao limite em enredos do grande ecrã. Os poker movies são feitos desde a década de 60 e continuam a ser bastante populares hoje em dia. O filme "Rounders", com Matt Damon, é um dos exemplos mais adequados, mas clássicos como "The Cinicinatti Kid" ou "Casino", de Martin Scorsese, também merecem lugar de destaque.