94,5% dos alojamentos da Região já estão recenseados. Faltam cerca de 7.600

Ao início da manhã desta terça-feira, faltava apenas recolher, no âmbito dos Censos 2021, informação de 7 660 alojamentos, o que corresponde a 5,5% do total de alojamentos da Região Autónoma da Madeira. Os dados são da Direção Regional de Estatística e demonstram que a resposta dada dentro do prazo – isto é, entre 19 de abril e 3 de maio –, abrangeu 94,5% dos cerca de 140 mil alojamentos existentes na Região. No último ponto de situação divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), os dados revelam ainda que a Madeira é a região do país com maior percentagem de alojamentos recenseados, com um diferencial positivo de mais de 5 pontos percentuais em relação à média nacional. Números que, de acordo com o vice-presidente do Governo Regional, responsável pela tutela da estatística regional, revelam grande sentido de cidadania da população madeirense, que tem colaborado de forma inexcedível. Em todos os municípios da RAM, o número de alojamentos por recensear é inferior a 5%, sendo que esse recenseamento já está praticamente terminado nos municípios do Porto Moniz, da Calheta, S. Vicente e Porto Santo.   240 mil madeirenses recenseados até ao momento Até à data, estão já recenseados cerca de 240 mil madeirenses. Ainda que seja prematuro fazer uma apreciação da população residente final, e não se conhecendo na totalidade a percentagem dos alojamentos por recensear que estão ou não ocupados por famílias, estima-se uma diminuição da população residente na Região face aos Censos apurados em 2011. Os dados de 2021 serão conhecidos entre o final do mês de julho e o início do mês de agosto, numa divulgação simultânea das autoridades estatísticas envolvidas na operação, INE e serviços regionais de estatística da Madeira e dos Açores.   Ainda pode responder aos Censos Apesar do prazo preferencial para resposta se ter esgotado na passada segunda-feira, 3 de maio, a operação Censos 2021 não terminou. Quem não respondeu ainda o pode fazer, preferencialmente pela internet, através do endereço censos2021.ine.pt. A resposta por telefone, ligando para o 21 054 2021 mantém-se ativa. Deslocar-se à junta de freguesia é outra alternativa, pois os balcões de apoio e-censos continuam a funcionar. O recenseador também pode entrevistar a família e assim recolher a informação necessária. O uso dos questionários em papel - o modo tradicional de responder aos Censos - continua a ser também uma opção. A resposta fora do prazo não conduz a contencioso, mas a recusa ostensiva pode levar à aplicação dessa solução, pelo que se solicita a colaboração e a compreensão da população. Alerta-se que aqueles que, por algum motivo, não receberam na caixa de correio a carta com os códigos necessários para resposta, ou se a inutilizaram, deverão por favor contactar a respetiva junta de freguesia. Realce-se que as respostas recebidas resultaram do preenchimento online por 89% das famílias, 6% por entrevista direta do recenseador e 4% nas Juntas de Freguesia. A resposta por telefone e em papel foi residual.   Fase de verificação e de controlo de qualidade iniciou-se esta semana Os recenseadores acentuarão, nesta fase derradeira da operação Censos, a sua presença no terreno, colocando avisos nas caixas de correio de quem ainda não respondeu e fazendo uma série de confirmações in loco, seguindo as indicações da coordenação. Também, no âmbito do plano de controlo de qualidade dos Censos, uma franja de 5% dos alojamentos será alvo de reinquirição para confirmar a situação do alojamento, a morada e o número de elementos do agregado doméstico. Os responsáveis por este contacto serão os coordenadores e subcoordenadores de freguesia.   Coordenação regional deixa alertas Uma das questões mais frequentes com que a Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), entidade que coordena a operação Censos 2021 na RAM, tem sido confrontada prende-se com a situação de inquilinos que não respondem aos Censos por estarem em alojamentos arrendados em situação não declarada pelos senhorios à Autoridade Tributária. Nestes casos, a DREM tem esclarecido que a operação tem apenas fins estatísticos, não resultando no cruzamento com as Finanças, com a Segurança Social, ou outra qualquer entidade. Toda a informação reportada é confidencial e dela não resultará a perda de benefícios em termos individuais. Outra situação frequente é a omissão de membros da família, quer por serem menores de idade (caso dos recém-nascidos), ou por estarem temporariamente ausentes (caso de estudantes universitários fora da Região, de emigrantes sazonais ou de alguém que está hospitalizado) não são contabilizados nas respostas aos Censos. Nestes casos, a DREM solicita que seja contactada a Junta de Freguesia e reportada essa situação, para se proceder à correção.

94,5% dos alojamentos da Região já estão recenseados. Faltam cerca de 7.600
Ao início da manhã desta terça-feira, faltava apenas recolher, no âmbito dos Censos 2021, informação de 7 660 alojamentos, o que corresponde a 5,5% do total de alojamentos da Região Autónoma da Madeira. Os dados são da Direção Regional de Estatística e demonstram que a resposta dada dentro do prazo – isto é, entre 19 de abril e 3 de maio –, abrangeu 94,5% dos cerca de 140 mil alojamentos existentes na Região. No último ponto de situação divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), os dados revelam ainda que a Madeira é a região do país com maior percentagem de alojamentos recenseados, com um diferencial positivo de mais de 5 pontos percentuais em relação à média nacional. Números que, de acordo com o vice-presidente do Governo Regional, responsável pela tutela da estatística regional, revelam grande sentido de cidadania da população madeirense, que tem colaborado de forma inexcedível. Em todos os municípios da RAM, o número de alojamentos por recensear é inferior a 5%, sendo que esse recenseamento já está praticamente terminado nos municípios do Porto Moniz, da Calheta, S. Vicente e Porto Santo.   240 mil madeirenses recenseados até ao momento Até à data, estão já recenseados cerca de 240 mil madeirenses. Ainda que seja prematuro fazer uma apreciação da população residente final, e não se conhecendo na totalidade a percentagem dos alojamentos por recensear que estão ou não ocupados por famílias, estima-se uma diminuição da população residente na Região face aos Censos apurados em 2011. Os dados de 2021 serão conhecidos entre o final do mês de julho e o início do mês de agosto, numa divulgação simultânea das autoridades estatísticas envolvidas na operação, INE e serviços regionais de estatística da Madeira e dos Açores.   Ainda pode responder aos Censos Apesar do prazo preferencial para resposta se ter esgotado na passada segunda-feira, 3 de maio, a operação Censos 2021 não terminou. Quem não respondeu ainda o pode fazer, preferencialmente pela internet, através do endereço censos2021.ine.pt. A resposta por telefone, ligando para o 21 054 2021 mantém-se ativa. Deslocar-se à junta de freguesia é outra alternativa, pois os balcões de apoio e-censos continuam a funcionar. O recenseador também pode entrevistar a família e assim recolher a informação necessária. O uso dos questionários em papel - o modo tradicional de responder aos Censos - continua a ser também uma opção. A resposta fora do prazo não conduz a contencioso, mas a recusa ostensiva pode levar à aplicação dessa solução, pelo que se solicita a colaboração e a compreensão da população. Alerta-se que aqueles que, por algum motivo, não receberam na caixa de correio a carta com os códigos necessários para resposta, ou se a inutilizaram, deverão por favor contactar a respetiva junta de freguesia. Realce-se que as respostas recebidas resultaram do preenchimento online por 89% das famílias, 6% por entrevista direta do recenseador e 4% nas Juntas de Freguesia. A resposta por telefone e em papel foi residual.   Fase de verificação e de controlo de qualidade iniciou-se esta semana Os recenseadores acentuarão, nesta fase derradeira da operação Censos, a sua presença no terreno, colocando avisos nas caixas de correio de quem ainda não respondeu e fazendo uma série de confirmações in loco, seguindo as indicações da coordenação. Também, no âmbito do plano de controlo de qualidade dos Censos, uma franja de 5% dos alojamentos será alvo de reinquirição para confirmar a situação do alojamento, a morada e o número de elementos do agregado doméstico. Os responsáveis por este contacto serão os coordenadores e subcoordenadores de freguesia.   Coordenação regional deixa alertas Uma das questões mais frequentes com que a Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), entidade que coordena a operação Censos 2021 na RAM, tem sido confrontada prende-se com a situação de inquilinos que não respondem aos Censos por estarem em alojamentos arrendados em situação não declarada pelos senhorios à Autoridade Tributária. Nestes casos, a DREM tem esclarecido que a operação tem apenas fins estatísticos, não resultando no cruzamento com as Finanças, com a Segurança Social, ou outra qualquer entidade. Toda a informação reportada é confidencial e dela não resultará a perda de benefícios em termos individuais. Outra situação frequente é a omissão de membros da família, quer por serem menores de idade (caso dos recém-nascidos), ou por estarem temporariamente ausentes (caso de estudantes universitários fora da Região, de emigrantes sazonais ou de alguém que está hospitalizado) não são contabilizados nas respostas aos Censos. Nestes casos, a DREM solicita que seja contactada a Junta de Freguesia e reportada essa situação, para se proceder à correção.