“A eutanásia é mais barata do que os cuidados paliativos”, diz o Bispo do Funchal

A manchete de hoje do JM vai para a entrevista do Bispo do Funchal, que tece duras críticas à incapacidade do estado em garantir dignidade a quem está a morrer. Ao JM, D. Nuno Brás, que cumpre amanhã um ano de bispado, diz sentir que há solidão...

“A eutanásia é mais barata do que os cuidados paliativos”, diz o Bispo do Funchal
A manchete de hoje do JM vai para a entrevista do Bispo do Funchal, que tece duras críticas à incapacidade do estado em garantir dignidade a quem está a morrer. Ao JM, D. Nuno Brás, que cumpre amanhã um ano de bispado, diz sentir que há solidão no Norte da ilha e pouca fé no Sul. Aborda também os casos dos párocos Martins Júnior, Giselo Andrade e Anastácio Alves, e assume que há mais falta de religiosas do que de padres. Em destaque, a megaoperação de pás eólicas seguida por muitos curiosos. Chamada também para o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), Luís Lima, que considera que “há demasiados agentes imobiliários”. Ainda nesta edição, as demissões no SESARAM, onde a Saúde está em risco de perder idoneidade formativa. Em assuntos relacionados com a Cultura, saiba que Albano Jerónimo traz ‘Veneno’ ao AMO-TEeatro. Por fim, no ano onde se assinala uma década após o 20 de fevereiro, o engenheiro João Baptista afirma que a catástrofe estava anunciada.  Num testemunho assinado na primeira pessoa, lembra que em 2006 apresentou um trabalho que denunciava que o Funchal não possuía área suficiente para fazer uma drenagem adequada das chuvas torrenciais. Leia mais sobre estes e outros assuntos, na edição deste domingo do seu JM.