"A violência é inadmissível" alerta José Manuel Rodrigues

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, manifestou-se hoje preocupado com os dados de um estudo do ano passado (2019) que indiciam um aumento da violência no namoro. A inquietude foi manifestada no debate realizado...

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, manifestou-se hoje preocupado com os dados de um estudo do ano passado (2019) que indiciam um aumento da violência no namoro. A inquietude foi manifestada no debate realizado na escola da Apel (Associação Promotora do Ensino Livre) sobre ‘Violência doméstica e no namoro, como garantir o respeito e a igualdade?’. A investigação inserida no projeto ‘ART'THEMIS+ Jovens’ protagonistas na prevenção e na igualdade de género, financiado pela secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade revela que "67% do total dos/as jovens legitimam pelo menos um comportamento de violência de entre os comportamentos questionados. "Isto é que é realmente preocupante, é que o problema podia existir, mas todos nós estarmos a combater do mesmo lado esse problema. Afinal há jovens vítimas de violência ou agressores que aceitam como natural e até como legítimo" esta violência. José Manuel Rodrigues alertou ainda os jovens para "a violência nas redes sociais, enquanto dimensão nova nas relações de intimidade". O presidente considera que os planos de prevenção estão a funcionar na Madeira e no Porto Santo, mas salienta de deve haver uma aposta maior na consciencialização dos jovens para um problema social que tem de ser combatido. "A violência é inadmissível, quer a violência no namoro ou qualquer outro tido de violência", concluiu em género de apelo. Ângelo Lourenço, aluno e promotor do evento inserido no projeto ‘Parlamento Jovem’, alertou ainda para o problema da violência doméstica que atinge maioritariamente as mulheres. "É um flagelo que vitimiza sobretudo mulheres", que é necessário combater. O Programa ‘Parlamento dos Jovens 2019/2020’ tem como tema principal a violência doméstica e no namoro e está a ser discutido por todo o país em 1.009 escolas, a maior adesão de sempre. A problemática vai ser debatida a 10 de março, no Parlamento madeirense, entre os alunos de 15 escolas da Madeira. A escola vencedora do projeto ‘Parlamento Jovem Regional’ vai participar no ‘Parlamento dos Jovens da Assembleia da República’, onde vai defende uma recomendação para ser discutida na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência, Juventude e Desporto. O debate de hoje, realizado na escola da Apel, contou ainda com a participação de Teresa Carvalho, diretora da Unidade de Assessoria Técnica do Departamento de Apoio à Família, Infância e Juventude do Instituto de Segurança Social da Madeira, Mariana Aragão, do Serviço de Igualdade de Género e Carla Berenguer, da Direção de Serviços de Juventude.