Abriu hoje o ‘Dog Park’ nos Jardins da Ajuda num investimento de cerca de 7 mil euros

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) abriu, esta manhã, as portas do novo ‘Dog Park’, nos Jardins da Ajuda. Num projeto que custou à autarquia 7.500 euros. “A Câmara Municipal do Funchal tem estado sempre na vanguarda das políticas que têm sido...

Abriu hoje o ‘Dog Park’ nos Jardins da Ajuda num investimento de cerca de 7 mil euros
A Câmara Municipal do Funchal (CMF) abriu, esta manhã, as portas do novo ‘Dog Park’, nos Jardins da Ajuda. Num projeto que custou à autarquia 7.500 euros. “A Câmara Municipal do Funchal tem estado sempre na vanguarda das políticas que têm sido a causa animal, na Madeira. Nos últimos anos, com a proibição de circos com animais temos sido propulsores a nível nacional nessa medida, e agora também com este primeiro ‘Dog park’ instalado aqui na cidade do Funchal, que vai ao encontro das expectativas de muitos funchalenses” afirmou. Num sítio coberto de cor, os animais podem agora andar e correr livremente e até fazer exercício físico “num espaço inédito”. “São centenas de cães que nesta zona vêm cá todos os dias, para passear e fazer exercício físico. Muitos destes cães vivem em apartamentos e os donos encontram aqui uma forma de os exercitar. O que se prevê aqui é disciplinar o acesso ao espaço sendo que dentro deste ‘Dog Park’ os cães podem andar livremente, o que acaba por privilegiar toda essa componente urbana, mas com estes espaços de fruição que são coletivos” explicou. O autarca sublinhou do mesmo modo que “muitas vezes não é preciso muito dinheiro para colocar boas ideias no terreno” reafirmando que a política animal que tem sido implementada pela CMF, “continua na vanguarda daquilo que tem sido feito aqui no concelho” a gente ir para o futuro está na linha de projetos da CMF, criar mais espaços que promova a boa relação entre os animais e os seus donos. Relativamente ao jardim infantil que foi desativado, na mesma zona, Miguel Gouveia garantiu que a Câmara já tem em vista um projeto de cerca de 70 mil euros, que será lançado já no princípio do próximo ano. “A Lei sofreu uma alteração nos últimos anos que nos obrigou a desmantelar alguns dos parques que já se encontravam ao absoleto e que não cumpriam com essa Lei. Já temos feito a reconversão de alguns parques, nomeadamente o Parque da Penteada, o Parque da Fortaleza do Pico e no próximo ano temos previsto a estação deste parque aqui no Jardim da Ajuda, num investimento de 70 mil euros e ainda no Parque de Santa Catarina, com valores superiores a 300 mil euros” concluiu.