ACIF disponível para colaborar com o Governo Regional na elaboração dos planos de desconfinamento na restauração e no turismo

Na sequência das declarações proferidas pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, durante a conferência de imprensa do dia 8 de maio, a ACIF-CCIM manifestou, em comunicado, a sua total disponibilidade para colaborar com o Executivo na elaboração de um manual de normas para o setor da restauração, previsto abrir no próximo dia 18 de maio, tendo já, inclusivamente, feito algum trabalho nesse sentido, em colaboração com os seus associados do setor. Em relação ao setor do turismo, a ACIF-CCIM mostra alguma apreensão pelo facto de ainda não ter sido anunciado qualquer plano de desconfinamento, pois, “apesar de termos perfeita consciência de que este setor carece de outro tipo de intervenção e que esta retoma irá depender de múltiplos fatores externos, entendemos que é urgente delinear uma estratégia para a Região, envolvendo todos os stakeholders, numa estratégia de antecipação, face a outros destinos que também começam a se posicionar”, lê-se na referida nota. Por fim, a ACIF congratulou o Governo Regional pela abolição das medidas de segurança e higiene impostas ao comércio a retalho, por intermédio da Resolução n.º 273/2020 de 1 de maio, nomeadamente, a proibição da “prova de pronto a vestir em geral, calçado, acessórios, bijuterias e outros”, na certeza de que o setor cumprirá com as demais normais de segurança em vigor, de modo que o ato da compra seja realizado com a máxima segurança.  

Na sequência das declarações proferidas pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, durante a conferência de imprensa do dia 8 de maio, a ACIF-CCIM manifestou, em comunicado, a sua total disponibilidade para colaborar com o Executivo na elaboração de um manual de normas para o setor da restauração, previsto abrir no próximo dia 18 de maio, tendo já, inclusivamente, feito algum trabalho nesse sentido, em colaboração com os seus associados do setor. Em relação ao setor do turismo, a ACIF-CCIM mostra alguma apreensão pelo facto de ainda não ter sido anunciado qualquer plano de desconfinamento, pois, “apesar de termos perfeita consciência de que este setor carece de outro tipo de intervenção e que esta retoma irá depender de múltiplos fatores externos, entendemos que é urgente delinear uma estratégia para a Região, envolvendo todos os stakeholders, numa estratégia de antecipação, face a outros destinos que também começam a se posicionar”, lê-se na referida nota. Por fim, a ACIF congratulou o Governo Regional pela abolição das medidas de segurança e higiene impostas ao comércio a retalho, por intermédio da Resolução n.º 273/2020 de 1 de maio, nomeadamente, a proibição da “prova de pronto a vestir em geral, calçado, acessórios, bijuterias e outros”, na certeza de que o setor cumprirá com as demais normais de segurança em vigor, de modo que o ato da compra seja realizado com a máxima segurança.