Albuquerque quer maior articulação entre as universidades e o mercado de trabalho

O presidente do Governo considera faltar em Portugal articulação entre o ensino universitário e o mercado de trabalho. A esse propósito, referiu que o Governo Regional proporcionou, através do Programa Estágios de Verão, a quase 700 universitários...

Albuquerque quer maior articulação entre as universidades e o mercado de trabalho
O presidente do Governo considera faltar em Portugal articulação entre o ensino universitário e o mercado de trabalho. A esse propósito, referiu que o Governo Regional proporcionou, através do Programa Estágios de Verão, a quase 700 universitários da Madeira e Porto Santo, esse contacto com as empresas e o mundo do trabalho “É muito importante, para a formação de todos vós, contactarem com o dia-a-dia das empresas, com a realidade concreta, tangível da economia e do funcionamento do próprio mercado.” As palavras proferidas esta quarta-feira, 4 de setembro, pelo Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, aos 245 estudantes universitários que completaram, em agosto, o respetivo Programa de Estágios de Verão, uma medida inovadora, criada e implementada no presente mandato, com o objetivo de proporcionar aos jovens a aquisição de aptidões transversais a nível social, académico e profissional, em contexto real de trabalho, na área de formação que se encontram a frequentar. Dirigindo-se aos jovens, momentos antes da entrega de certificados de estágio, Miguel Albuquerque disse faltar ao ensino universitário, em Portugal, precisamente a articulação e a conexão com o mercado de trabalho, pelo que o presente Programa desenvolvido pelo Governo Regional constitui uma aposta a reforçar nos próximos anos. “É nossa intenção mantermos e alargarmos esta iniciativa de ligarmos os nossos jovens ao mundo das empresas e ao mundo do trabalho”, indicou o líder do executivo. “No nosso próximo Governo, esta direção de juventude será uma direção regional. Vamos, portanto, acentuar no próximo mandato a relevância da juventude e as questões ligadas à juventude com políticas que temos de concretizar em benefício de todos vós”, adiantou. Recordar que, em 2019, dos 832 estudantes, que concorreram ao Programa Estágios de Verão, 683 foram colocados em estágio, em entidades de natureza pública ou privada sem fins lucrativos e em empresas privadas. Para além da experiência profissional e aquisição de competências, os jovens participantes auferiram uma compensação monetária no valor de quinhentos euros e seguro de acidentes pessoais.