Aliança distingue áreas "fundamentais" na economia

A caravana do partido Aliança, parou ontem no Funchal junto à Assembleia Legislativa Regional da Madeira, tendo o cabeça de Lista do partido às eleições Legislativas dado uma conferência de imprensa, onde apresentou a opinião do partido sobre...

Aliança distingue áreas
A caravana do partido Aliança, parou ontem no Funchal junto à Assembleia Legislativa Regional da Madeira, tendo o cabeça de Lista do partido às eleições Legislativas dado uma conferência de imprensa, onde apresentou a opinião do partido sobre o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro negociado entre o governo regional e o governo nacional e apresentou as áreas da economia que o partido considera fundamentais no próximo quadro comunitário 2021/27. O candidato começou por prestar homenagem a Diogo Freitas do Amaral, enaltecendo a sua carreira académica e política, assim como o seu sentido de estado, considerando que "Diogo Freitas do Amaral prestigiou Portugal". De seguida o partido assumiu o compromisso de que elegendo algum candidato, o mesmo estará sempre disponível para prestar contas e para trabalhar em sintonia com o parlamento regional na defesa dos superiores interesses do povo da madeira e do porto Santo. Também o acordo estabelecido em 2012 entre o governo regional e o governo nacional, ambos do PSD, para a concessão dum empréstimo à região no valor de 1.500 milhões de euros a uma taxa de juro superior à paga pela República, para o partido não faz sentido uma vez que todos somos portugueses e é imoral que "a República continue a cobrar taxas de juro mais elevadas à Região Autónoma da Madeira do que o valor que paga". "Entendemos que faltou capacidade de diálogo ao governo regional e de iniciativa aos parlamentares da Madeira na república. Consideramos que os deputados representam o povo e não os partidos políticos, nunca um deputado da Aliança deixaria de defender os superiores interesses dos Madeirenses e dos Porto-Santenses por base de qualquer disciplina partidária, como o fez no passado e bem o Dr. Rui Barreto". A Aliança promete que os deputados do partido no parlamento nacional vão ser "autênticos embaixadores da região", relembrando diariamente que "Portugal e a União Europeia também se fazem e muito nas regiões autónomas". Entende o partido que o novo quadro comunitário 2021/2027 deve ser aproveitado para: "·    Apostarmos na nova economia, que necessita e muito de competências, nesse sentido principal aposta deverá passar por melhorar o sistema educativo regional, que a nível da formação têm que passar do mais ou menos para a excelência.  ·    Apoiar as pequenas e médias empresas na sua transformação económica, que passa pela inovação; ·    Aproveitar o acordo de Paris, para alterar o nosso modelo de desenvolvimentos, pois o combate às Alterações Climáticas, levam-nos a sem qualquer dúvida ter o desenvolvimento sustentável como base do nosso projeto económico, teremos de ter apoios para termos uma Madeira mais «verde», sem emissões de carbono, e para tal a aposta nas linhas de investimento para a transição energética, para as energias renováveis para a agricultura biológica e para evitar as perdas de água potável."