Antigo PM turco Mesut Yilmaz morreu aos 72 anos

O antigo primeiro-ministro da Turquia Mesut Yilmaz morreu hoje, aos 72 anos, após doença prolongada, informaram os seus familiares à imprensa turca. Yilmaz estava hospitalizado para ser tratado a um cancro no pulmão, doença que acabou por se espalhar para o cérebro. Ahmet Mesut Yilmaz foi chefe do Governo por três vezes na década de 1990, quando era líder do Partido da Pátria (ANAP - de centro-direita liberal). O seu terceiro mandato foi o mais longo, durando entre 1997 e 1999, enquanto os dois primeiros foram muito curtos, com menos de meio ano cada. Os seus mandatos como primeiro-ministro foram cheios de crises, numa década marcada por coligações governamentais instáveis, escândalos políticos e o conflito crescente contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Seu último mandato, de 1997 a 1999, foi marcado principalmente por fortes tensões com a vizinha Síria. Em 1998, Yilmaz ameaçou "arrancar os olhos" ao Presidente sírio Hafez al-Assad devido ao seu apoio ao PKK, causando protestos no mundo árabe. Além disso, Mesut Yilmaz foi o número dois no último Governo de coligação que, no final de 2002, entregou as rédeas do país ao atual partido no poder, o conservador islâmico AKP, do Presidente Erdogan. Suspeito de apropriação indébita durante a privatização de um banco na década de 1990, Yilmaz foi o primeiro ex-chefe do Governo turco a ser julgado pelo Supremo Tribunal por corrupção, mas o processo contra o político foi posteriormente abandonado. O antigo primeiro-ministro tentou um retorno à política em 2007, mas sem sucesso. Yilmaz, nascido em 06 de novembro de 1947 na cidade de Rize, a mesma do atual Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sofreu de cancro durante anos e foi operado várias vezes. Além de primeiro-ministro, Yilmaz foi durante a sua carreira política também ministro da Informação, ministro da Cultura e Turismo, ministro dos Negócios Estrangeiros e vice-primeiro-ministro. A Presidência turca prestou-lhe homenagem referindo que Yilmaz foi "uma das figuras proeminentes da vida política turca".

Antigo PM turco Mesut Yilmaz morreu aos 72 anos
O antigo primeiro-ministro da Turquia Mesut Yilmaz morreu hoje, aos 72 anos, após doença prolongada, informaram os seus familiares à imprensa turca. Yilmaz estava hospitalizado para ser tratado a um cancro no pulmão, doença que acabou por se espalhar para o cérebro. Ahmet Mesut Yilmaz foi chefe do Governo por três vezes na década de 1990, quando era líder do Partido da Pátria (ANAP - de centro-direita liberal). O seu terceiro mandato foi o mais longo, durando entre 1997 e 1999, enquanto os dois primeiros foram muito curtos, com menos de meio ano cada. Os seus mandatos como primeiro-ministro foram cheios de crises, numa década marcada por coligações governamentais instáveis, escândalos políticos e o conflito crescente contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Seu último mandato, de 1997 a 1999, foi marcado principalmente por fortes tensões com a vizinha Síria. Em 1998, Yilmaz ameaçou "arrancar os olhos" ao Presidente sírio Hafez al-Assad devido ao seu apoio ao PKK, causando protestos no mundo árabe. Além disso, Mesut Yilmaz foi o número dois no último Governo de coligação que, no final de 2002, entregou as rédeas do país ao atual partido no poder, o conservador islâmico AKP, do Presidente Erdogan. Suspeito de apropriação indébita durante a privatização de um banco na década de 1990, Yilmaz foi o primeiro ex-chefe do Governo turco a ser julgado pelo Supremo Tribunal por corrupção, mas o processo contra o político foi posteriormente abandonado. O antigo primeiro-ministro tentou um retorno à política em 2007, mas sem sucesso. Yilmaz, nascido em 06 de novembro de 1947 na cidade de Rize, a mesma do atual Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sofreu de cancro durante anos e foi operado várias vezes. Além de primeiro-ministro, Yilmaz foi durante a sua carreira política também ministro da Informação, ministro da Cultura e Turismo, ministro dos Negócios Estrangeiros e vice-primeiro-ministro. A Presidência turca prestou-lhe homenagem referindo que Yilmaz foi "uma das figuras proeminentes da vida política turca".