António Castro dá nome à Biblioteca da Escola Gonçalves Zarco

O professor, escritor e poeta António Castro, recentemente falecido, foi hoje homenageado no 6.º aniversário da Galeria Espaçomar, num momento repleto de testemunhos tocantes e que culminaram com o descerramento de uma placa na Biblioteca,...

António Castro dá nome à Biblioteca da Escola Gonçalves Zarco
O professor, escritor e poeta António Castro, recentemente falecido, foi hoje homenageado no 6.º aniversário da Galeria Espaçomar, num momento repleto de testemunhos tocantes e que culminaram com o descerramento de uma placa na Biblioteca, que tem agora o nome ‘António Castro’. A celebração partiu do mote ‘Conversas com...’, em que a deputada na Assembleia Regional, e antiga vereadora, Rubina Leal, lembrou como foi trabalhar com António Castro na Câmara Municipal do Funchal, em múltiplos projetos, entre os quais o ‘Arquipélago de Leitura’ (que levou a literatura a múltiplas escolas da Região), a Universidade Sénior da Câmara Municipal, na edição de livros, e em diversas feiras do livro. Já Elisabete Henriques, ilustradora de muitos dos livros do escritor, também partilhou histórias que partilhou com o docente, que faleceu em junho passado. Esta conversa, que contou com a moderação a cargo da professora Fátima Azevedo, recordou os vários projetos em que o autor, dinâmico e versátil, deixou a sua marca, como a Universidade Sénior da Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco, que criou. Em sua memória, uma das alunas deste projeto declamou dois poemas de António Castro. De igual forma, a maestrina Maria João Caires cantou ‘Sê o Sonho Ganhador’, o hino desta escola, que tem letra do poeta. Estiveram ainda presentes a  vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, e o presidente da Junta de Freguesia de São Martinho, Duarte Caldeira. O 6.º aniversário da Galeria Espaçomar foi a altura escolhida para este tributo, ou não fosse o professor de Português e História um dedicado colaborador deste espaço, ajudando na elaboração das exposições, sempre que podia.