APAVT: Problemas trazidos pela massificação

Após a apresentação de Augusto Mateus, ‘Turismo: Opções Estratégicas’, a quarta Sessão, e derradeira deste segundo dia de trabalhos, chama ao debate um conjunto de oradores, como Paula Antunes, António Marques Vidal, presidente da APECATE,...

APAVT: Problemas trazidos pela massificação
Após a apresentação de Augusto Mateus, ‘Turismo: Opções Estratégicas’, a quarta Sessão, e derradeira deste segundo dia de trabalhos, chama ao debate um conjunto de oradores, como Paula Antunes, António Marques Vidal, presidente da APECATE, Bruno Freitas, administrador do Grupo Savoy, e ainda João Fernandes, presidente da RTA. A moderação está a cargo de Eduarda Neves, administradora da Portugal Travel Team, e juntos tentarão responder à questão sobre como resolver as fragilidades, falando para uma plateia de mais de 600 congressistas, agregados por esta 45.ª edição do Congresso Nacional da APAVT 2019, que decorre no Savoy Palace. Na sua alocução, inicial, Paula Antunes explanou os desafios que enfrentados no dia a dia, mormente no que toca a logística. “A massificação traz-nos grandes dificuldades”, expressou, deixando exemplos concretos da cidade de Lisboa. Esta executiva requer estudos, integrados, para entrada em monumentos históricos, precisamente porque essa massificação vai criando filas intermináveis, entre muitos exemplos. E porque a “nossa preocupação é sempre a qualidade”, condena os “pseudo-guias que encontramos todos os dias”, entre as muitas reivindicações, detendo-se em pormenor nessa questão de “necessitamos de profissionais à altura”. Entre as críticas, denuncioi a diferença de fiscalidade na organizzação de eventos, retirando competitividade a Portugal. O seja, "um evento realizado em Elvas é 23 por cento mais caro do que um realizado ao lado, em Badajoz", precisamente o valor do IVA que no nosso País não tem o devido retorno.