“As novas gerações têm o dever de conhecer, lutar e salvaguardar o que foi construído nos últimos 40 anos”

O PSD-Madeira promoveu, nesta segunda-feira, o último encontro de trabalho com as suas diferentes estruturas, neste caso com a JSD-Madeira. Um encontro que serviu para acertar as próximas ações de campanha a realizar nos 11 concelhos da Região,...

“As novas gerações têm o dever de conhecer, lutar e salvaguardar o que foi construído nos últimos 40 anos”
O PSD-Madeira promoveu, nesta segunda-feira, o último encontro de trabalho com as suas diferentes estruturas, neste caso com a JSD-Madeira. Um encontro que serviu para acertar as próximas ações de campanha a realizar nos 11 concelhos da Região, com base numa “estratégia integrada e reforçada a vários níveis, onde todos contam e são importantes”, conforme fez questão de destacar, na ocasião, o secretário-geral do partido, José Prada. Uma estratégia “onde os jovens assumem um papel fundamental, até porque são eles o melhor testemunho da nossa luta e o exemplo mais evidente de que as políticas levadas a cabo, na Região, ao longo destes últimos 40 anos, resultaram”, disse. É, também, em nome da manutenção de tudo o que foi conquistado, neste período e graças a duas gerações social-democratas, “que a nossa juventude deve empenhar-se, ainda mais, para que a Madeira e o Porto Santo continuem a ser terras de progresso, desenvolvimento e estabilidade, onde existem, atualmente, oportunidades de realização pessoal e profissional inexistentes no passado”, reforçou, ainda, o Secretário-geral, sublinhando que esse trabalho “é para continuar, no futuro e no rumo certo”. Dirigindo-se aos jovens presentes neste encontro, o secretário-geral do PSD-M lembrou as várias conquistas da governação social-democrata, neste mandato e a favor da juventude e deixou claro que, “com o PSD na governação, os nossos jovens, madeirenses e porto-santenses, não serão tratados de forma discriminatória pela República nem serão prejudicados nos seus direitos e interesses", sendo, aliás, vários os exemplos do combate a essa mesma discriminação, com o exemplo mais recente a prender-se com as viagens aéreas e com a implementação, pelo Governo Regional, do Programa Estudante Insular. Lembrou, ainda, as residências universitárias que serão instaladas no continente, concretamente em Lisboa e no Porto, para apoiar os jovens da Região que se encontram deslocados a estudar no Ensino Universitário e adiantou que, no Manifesto Eleitoral do PSD, a ser apresentado em breve, a juventude mereceu especial atenção e surge com medidas especificas que, aliás, derivam de propostas apresentadas pela própria JSD-M.   Bruno Melim: “Albuquerque cumpriu e continuará a cumprir no rumo certo” ao contrário de Lisboa O presidente da JSD-Madeira, Bruno Melim, alertou para o grande desafio que o dia 22 de setembro representa para a Juventude Madeirense. “É uma grande batalha pela Autonomia”, que “representa uma continuação do bom trabalho, um cumprir no rumo certo, daquilo que temos vindo a desenvolver nos últimos 43 anos.” Por isso apelou “a todos os militantes, aos amigos, àqueles que estão mais perto, e os que estão mais distantes” para que confiem no PSD para a defesa intransigente dos direitos dos jovens madeirenses e porto-santenses, adiantando que a JSD-Madeira apresentou “várias medidas que contemplarão o programa eleitoral do PSD-M” para o próximo mandato. Bruno Melim assegurou que o governo de Miguel Albuquerque cumpriu e continuará a cumprir no rumo certo, exemplificando com programas que foram implementados na Região nos últimos quatro anos de Governo. “Programas como o Programa Insular foram possíveis graças ao empenho e esforço do nosso presidente e candidato Miguel Albuquerque. Mas acima de tudo, medidas como o Passe Sub-23, os passes sociais – que ainda hoje vimos que o PS Lisboa e em Lisboa não cumprem – nós aqui continuamos a cumprir e continuamos a promover uma maior facilidade na mobilidade junto da nossa comunidade jovem”. “É essa é uma das muitas diferenças de quem defende os direitos dos madeirenses e dos jovens madeirenses, no caso da Madeira o PSD-Madeira, e o caso dos quem não defende os interesses nem dos madeirenses nem dos jovens portugueses a nível continental como se vê no Partido Socialista”, continuou.