Augusta Aguiar apela a um clima de diálogo e de paz social em 2020

Augusta Aguiar fez esta noite a sua estreia como anfitriã do Encontro dos Parceiros Sociais da Região, um convívio de ano novo, que junta a tutela e representantes dos sindicatos, das empresas e demais entidades que trabalham na área económica...

Augusta Aguiar apela a um clima de diálogo e de paz social em 2020
Augusta Aguiar fez esta noite a sua estreia como anfitriã do Encontro dos Parceiros Sociais da Região, um convívio de ano novo, que junta a tutela e representantes dos sindicatos, das empresas e demais entidades que trabalham na área económica e social. A secretária regional da Inclusão e da Cidadania apelou para que todos continuem a trabalhar enfrentando "os desafos e as exigências que o desenvolvimento social, económico e tecnológico impõe, num clima de diálogo e paz social, fundamental para atingir o sucesso da Região Autónoma da Madeira". "Desejo que todos nós possamos contribuir para esta visão conjunta, do relevante papel que o trabalho tem em termos sociais, contribuindo para a redução das desigualdades, bem como facilitar a promoção e o desenvolvimento socioeconómico sustentável da Madeira e do Porto Santo, pela criação de condições favoráveis ao reforço da competitividade, ao crescimento económico e ao emprego, levando à consolidação e criação de empresas regionais sustentáveis", disse. Augusta Aguiar assinalou alguns dos pontos positivos do ano passado, como "o acordo alcançado entre Governo Regional, entidades patronais e sindicatos, relativo ao valor proposto para o salário mínimo regional, para 2020, de € 650,88, valor este que representa uma revalorização de 2,5% em relação ao acréscimo ao salário mínimo nacional". As 55 convenções assinadas em 2019, a revisão dos Contratos Coletivos de Trabalho da Hotelaria (com acréscimos diferenciados neste setor, em relação ao salário mínimo), o trabalho desenvolvido pela Comissão Regional para a Igualdade no Trabalho e no Emprego – CRITE e o diploma que extingue o antigo livrete individual de controlo de horários (dos profissionais do setor dos transportes de passageiros) por um documento único no qual se registam os tempos de trabalho, foram outros aspetos realçados. Para o futuro, a governante preconiza a promoção de políticas de emprego "como um dos eixos essenciais do modelo de desenvolvimento social inclusivo, com políticas proactivas, adaptadas e adequadas, capazes de produzir a necessária coesão social".