Autoridades da Gâmbia detiveram 137 pessoas em protestos contra Presidente

A polícia da Gâmbia deteve 137 pessoas durante protestos que exigiam a saída do Presidente, Adama Barrow, que lidera o país há três anos, anunciou hoje o Governo daquele país. Durante uma manifestação no domingo, as forças de segurança recorreram...

Autoridades da Gâmbia detiveram 137 pessoas em protestos contra Presidente
A polícia da Gâmbia deteve 137 pessoas durante protestos que exigiam a saída do Presidente, Adama Barrow, que lidera o país há três anos, anunciou hoje o Governo daquele país. Durante uma manifestação no domingo, as forças de segurança recorreram a gás lacrimogéneo para dispersar os milhares de pessoas que participavam nos protestos contra o chefe de Estado, levantando preocupação entre os gambianos, que viveram durante 22 anos sob o regime do antigo Presidente Yahya Jammeh. Após uma derrota nas eleições de 2016 frente a Barrow, Jammeh abandonou o país em 2017, tendo o seu sucessor anunciado que apenas iria liderar o país por três anos. O Executivo gambiano acrescenta que pelo menos 18 paramilitares e sete civis ficaram feridos durante os confrontos de domingo. Apesar das declarações de 2017, alguns membros da sua coligação apoiaram, no ano passado, um possível cumprimento dos cinco anos de mandato por Barrow. Em protesto, vários gambianos formaram um movimento chamado "Operação Three Years Jotna" (Três Anos é Suficiente, em português), cuja existência foi, entretanto, banida pelo Governo gambiano, que o considerou "subversivo, violento e ilegal". O Governo de Barrow suspendeu também a atividade de duas estações de rádio, considerando que estas propagaram "mensagens incendiárias" e por permitirem que as suas plataformas fossem "usadas para incentivar a violência". O Comité para a Proteção dos Jornalistas afirmou que está a investigar os relatos que apontam para a detenção e agressão a jornalistas, assim como a suspensão aplicada às duas estações de rádio. As atividades repressivas aconteceram num momento em que os rumores de um regresso de Jammeh à Gâmbia começam a avolumar-se. O ministro da Justiça da Gâmbia, Aboubacarr Tambadou, vincou já que caso Jammeh regresse ao seu país, irá ser alvo da justiça gambiana.