Avião espanhol traz europeus de Caracas e inclui passageiro com destino à Madeira

A operação foi preparada pela UE e vai ser efetivada pelacompanhia aérea espanhola Plus Ultra que vai facilitar o regresso a vários cidadãos europeus. Ao que o JM apurou, o voo marcado para a próxima terça-feira com partida de Caracas, capital da Venezuela, está já completamente cheio e vai contar com um passageiro que tem como destino final a Madeira. Uma boa noticia para muitas das pessoas que se haviam deslocado à Venezuela em turismo ou para visitar familiares. Para poderem regressar, os passageiros têm que ter residência num país da UE e que pagar um “valor justo” pelo voo (que ainda assim é mais baixo que os normalmente praticados). Devido às restrições de circulação que a pandemia COVID-19 veio trazer, a operação é complexa e irá contar com todo o apoio das autoridades venezuelanas. Após Nicolas Maduro ter imposto quarentena total em todo o território venezuelano e existirem limitações em relação ao abastecimento automóvel – apenas os serviços essenciais podem fazê-lo – a deslocação de todos os passageiros para o aeroporto de Maiquetía será assegurada pelas forças de segurança do país. Medida importantíssima para todos os cidadãos que pretendem regressar e que se têm de deslocar até à capital venezuelana – alguns deles estão a mais de 700 quilómetros de distância. O voo que fará a ponte com a Europa tem como destino final Madrid e contará com a presença de um madeirense que terá o regresso a terras lusas assegurado pelo Estado português.

Avião espanhol traz europeus de Caracas e inclui passageiro com destino à Madeira
A operação foi preparada pela UE e vai ser efetivada pelacompanhia aérea espanhola Plus Ultra que vai facilitar o regresso a vários cidadãos europeus. Ao que o JM apurou, o voo marcado para a próxima terça-feira com partida de Caracas, capital da Venezuela, está já completamente cheio e vai contar com um passageiro que tem como destino final a Madeira. Uma boa noticia para muitas das pessoas que se haviam deslocado à Venezuela em turismo ou para visitar familiares. Para poderem regressar, os passageiros têm que ter residência num país da UE e que pagar um “valor justo” pelo voo (que ainda assim é mais baixo que os normalmente praticados). Devido às restrições de circulação que a pandemia COVID-19 veio trazer, a operação é complexa e irá contar com todo o apoio das autoridades venezuelanas. Após Nicolas Maduro ter imposto quarentena total em todo o território venezuelano e existirem limitações em relação ao abastecimento automóvel – apenas os serviços essenciais podem fazê-lo – a deslocação de todos os passageiros para o aeroporto de Maiquetía será assegurada pelas forças de segurança do país. Medida importantíssima para todos os cidadãos que pretendem regressar e que se têm de deslocar até à capital venezuelana – alguns deles estão a mais de 700 quilómetros de distância. O voo que fará a ponte com a Europa tem como destino final Madrid e contará com a presença de um madeirense que terá o regresso a terras lusas assegurado pelo Estado português.