Bangladesh e Índia contabilizam seis vítimas mortais com passagem do ciclone Bulbul

O ciclone Bulbul que atingiu o Bangladesh e a Índia com chuvas torrenciais e ventos fortes já causou pelo menos seis mortos e obrigou à retirada de dois milhões de pessoas, segundo indicaram hoje as autoridades. Com rajadas de vento de 120...

Bangladesh e Índia contabilizam seis vítimas mortais com passagem do ciclone Bulbul
O ciclone Bulbul que atingiu o Bangladesh e a Índia com chuvas torrenciais e ventos fortes já causou pelo menos seis mortos e obrigou à retirada de dois milhões de pessoas, segundo indicaram hoje as autoridades. Com rajadas de vento de 120 quilómetros por hora, o Bulbul atingiu zonas daqueles dois países, tendo obrigado ao encerramento de portos e aeroportos locais. No Bangladesh, o primeiro balanço das autoridades locais encarregadas da gestão de desastres, citadas pela agência France-Presse, apontam para a existência de quatro mortes causadas pela queda de árvores. Na região costeira de Khulna, no Sul do Bangladesh, a mais afetada do país, os fortes ventos que se fizeram sentiram arrancaram várias árvores que caíram nas estradas, impedindo o acesso a essa zona. As autoridades reportaram ainda a existência de várias áreas inundadas, sobretudo nas zonas mais baixas do país. O Bulbul atingiu as zonas costeiras do Bangladesh no sábado, tendo diminuído de intensidade à medida que avançou para o interior do país. A Índia contabilizou até ao momento dois mortos, com uma das vítimas a ser atingida pela queda de uma árvores, em Calcultá, e outra pela queda de um muro (no estado vizinho de Odisha). O Bulbul atingiu pela primeira vez a zona de Sundarbans, uma região polvilhada de braços e canais do delta do rio Ganges, onde está localizada o maior mangal do mundo. Localizada entre a Índia e o Bangladesh, esta zona acolhe também o tigre de Bengala, uma das espécies que se encontra ameaçada de extinção.