BE quer reforço das pensões para maior dignidade dos mais frágeis

A campanha do Bloco de Esquerda deslocou-se à feira do Santo da Serra. Ernesto Ferraz, o primeiro candidato pela Madeira, defendeu o reforço das pensões para maior dignidade nas condições de vida dos mais velhos. Lembrou que a coligação PSD-CDS...

BE quer reforço das pensões para maior dignidade dos mais frágeis
A campanha do Bloco de Esquerda deslocou-se à feira do Santo da Serra. Ernesto Ferraz, o primeiro candidato pela Madeira, defendeu o reforço das pensões para maior dignidade nas condições de vida dos mais velhos. Lembrou que a coligação PSD-CDS se propunha cortar 600 milhões por ano e que o PS queria congelar 250 milhões nas pensões. "A influência do Bloco permitiu fazer levantar o congelamento que propunha o PS, sobretudo as pensões mais baixas foram aumentadas em termos reais. O Bloco não está satisfeito com o que foi conseguido, mas um caminho foi iniciado para trazer mais justiça social e é para isso que existe o Bloco de Esquerda. Do lado da direita (PSD e CDS) ouvimos falar em reformas e da segurança social em particular, querem privatizar, ora isso seria o caos entregar ao sistema financeiro as pensões, em particular para os que menos têm e mais sofrem esses partidos são muitos fortes com os mais fracos e são fracos e submissos aos interesses económicos", vincou. "Em 2008 houve um corte do fator de sustentabilidade por um governo do PS, que atingiu sobretudo as pensões mais baixas, sustentabilidade das finanças, mas não das vidas das pessoas. Se o Bloco tiver mais força teremos mais exigência em prol da Justiça social. Continuaremos a defender reformas aos 60 anos e com 40 anos de descontos e um complemento extraordinários para os pensionistas com as carreiras muito longas, com 50 ou mais anos de descontos, precisam ver reforçadas as suas pensões", assegurou. Relativamente às medidas a tomar, o BE defende o reforço do complemento solidário para os idosos, que deve deixar de agregar os rendimentos dos filhos, reforçar a rede nacional de cuidados intensivos e o Estatuto do cuidador informal.