Bloco diz que PSD “teima em dar lucros aos privados”

“O PSD insiste na entrega a privados dos transportes públicos, preocupado com os lucros dos donos das transportadoras e não com o serviço prestado aos cidadãos. E ainda gasta 116 mil euros só para preparar o concurso”, acusa Paulino Ascenção,...

Bloco diz que PSD “teima em dar lucros aos privados”
“O PSD insiste na entrega a privados dos transportes públicos, preocupado com os lucros dos donos das transportadoras e não com o serviço prestado aos cidadãos. E ainda gasta 116 mil euros só para preparar o concurso”, acusa Paulino Ascenção, num comunicado do Bloco de Esquerda. O dirigente regional do partido afirmou que o Regime Jurídico dos Transportes Públicos aprovado em 2015 “dá a possibilidade ao Governo Regional, enquanto autoridade de transportes, de declarar um operador público de transportes – a Horários do Funchal – operador interno em toda a Região. A Lei faz cessar as concessões anteriores e dispensa o Estado de indemnizar os privados. É a oportunidade para terminar o processo que levou a criação da HF, com a fusão de várias companhias que operavam no Funchal, de termos uma companhia única na Madeira, para modernizar a rede de transportes públicos e termos uma gestão pública.” “Se a gestão pública é boa no Funchal e é elogiada pelo Governo, porque não alargar o modelo a toda a ilha?”, questionou. Segundo Paulino Ascenção, “a Madeira tem um território pequeno (menor que alguns municípios do continente), não se entende a compartimentação da rede de transportes públicos, a falta de integração e a idade média tão alta dos autocarros em serviço. Uma companhia única e pública é o instrumento ideal para fazer a revolução nos transportes que a Madeira precisa, repensar as carreiras, integrar informação aos utentes e a bilhética, passe para toda a ilha sem restrições e modernizar a frota. Os privados só vão complicar, vão colocar os seus interesses mesquinhos acima dos da população.” “O PSD não se interessa pelos transportes públicos, não defende o interesse público, na ânsia de satisfazer os apetites da ‘máfia do betão’, continua a promover o uso do transporte individual, para justificar a construção de mais estradas e de mais parques de estacionamento, o Ambiente que se lixe”, acusou ainda. “Ficamos a saber que o governo já gastou 116 mil euros apenas para preparar peças concursais para, a um ex-assessor do Governo da República (para quem se diz tão autonomista, estar sempre a recrutar assessorias no continente, parece mal). O recurso sistemático a consultores externos é a evidência da incompetência da horda de assessores nomeados pela vice-Presidencia – uma vintena.” Assim, termina o líder bloquista, “a proposta do Bloco de Esquerda é designar a Horários do Funchal como operador interno em toda a Região, integrar o pessoal ao serviço dos privados.”