Câmara de Lobos assina protocolo de apoio ao empreendedorismo

A Câmara Municipal de Câmara de Lobos e o Millennium BCP assinaram esta manhã um protocolo de cooperação que visa o apoio a projetos microempresariais e iniciativas de autoemprego de empreendedores do concelho. O acordo assinado, procura estimular...

Câmara de Lobos assina protocolo de apoio ao empreendedorismo
A Câmara Municipal de Câmara de Lobos e o Millennium BCP assinaram esta manhã um protocolo de cooperação que visa o apoio a projetos microempresariais e iniciativas de autoemprego de empreendedores do concelho. O acordo assinado, procura estimular e apoiar a capacidade de iniciativa e vocação empreendedora, através de ações de formação junto de potenciais promotores de projetos empresariais de pequena dimensão, apoio técnico à formalização das candidaturas, financiamento e acompanhamento na fase de lançamento e consolidação das iniciativas.    Os projetos aprovados terão acesso a uma linha de microcrédito que vai desde os 1000 euros até um máximo de 25 000 euros, com uma taxa de juro mais baixa do que as linhas de crédito tradicionais e isenta das habituais comissões de financiamento associadas à banca. Todos os valores são elegíveis, desde alugueres de espaço, aquisição de equipamentos, entre outros. O Millennium BCP elabora o projeto de investimento e acompanha o projeto, através de um gestor nomeado, durante 5 anos, de forma gratuita. Segundo Maria Elisabete Nunes, representante do Millennium BCP, esta linha de microcrédito de apoio ao empreendedorismo e autoemprego, enquadra-se dentro da política de responsabilidade social da instituição e procura dar resposta a empreendedores que, na fase de implementação dos seus projetos, não reúnem condições de acesso aos meios tradicionais de financiamento. Em Câmara de Lobos existem, até ao momento 12 projetos, que foram apoiados através desta linha de financiamento, via protocolo já existente com o Instituto de Emprego da Madeira, em áreas como a estética, agricultura, mecânica automóvel, serviços de eletricista, entre outros. O perfil dos empreendedores apoiados engloba, não só pessoas que ficaram desempregadas involuntariamente, mas também empreendedores que deixaram as suas atividades anteriores para empreender no seu próprio negócio e jovens que procuram criar a sua primeira empresa. Pedro Coelho, presidente da autarquia, ressalvou que esta é mais uma ferramenta disponível para os empreendedores do concelho, que se caracteriza por ter uma população jovem, ambiciosa e sensível às questões da criação do próprio emprego, mas que deverá ser utilizada com a responsabilidade inerente a qualquer financiamento junto da banca. O protocolo que hoje entrou em vigor terá várias sessões de esclarecimento e ações de formação de empreendedorismo, que decorrerão ao longo de 2020.