Câmara de Lobos investe na Educação para a Igualdade

No âmbito do Plano de Ação para a Coesão social 2018-2021 e das comemorações do Dia Municipal para a Igualdade, o município de Câmara de Lobos inforam em comunicado que em parceria com o Serviço de Igualdade de Género da Secretaria Regional...

Câmara de Lobos investe na Educação para a Igualdade
No âmbito do Plano de Ação para a Coesão social 2018-2021 e das comemorações do Dia Municipal para a Igualdade, o município de Câmara de Lobos inforam em comunicado que em parceria com o Serviço de Igualdade de Género da Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania, irá promover uma tertúlia, alusiva ao tema “Equilíbrio e Conciliação numa Sociedade que procura a Equidade”, no próximo dia 24 de outubro, das 10h às 12h, na Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos. "Esta tertúlia, será orientada pela Dra. Mariana Bettencourt, responsável pelo Serviço de Igualdade de Género na Região, e, terá como convidadas, quatro mulheres que se destacam na sociedade madeirense e ocupam papéis normalmente ocupados pelo género masculino, entre as quais, Célia Marques, Diretora do Hotel Pestana Churchill Bay e Albertina Henriques, politóloga. A iniciativa incluirá ainda um espaço de perguntas e respostas com o público, de modo a permitir a troca de experiências e a abertura do debate à comunidade em geral", informa na nota de imprensa.    Segundo a Vice-presidente da Câmara, Sónia Pereira, "o município tem vindo a investir, gradualmente, na Educação para a Igualdade, Inclusão e Cidadania, tendo submetido uma candidatura, em 2019, ao Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, EEA Grants 2014-2021, com o projeto pioneiro Educar+ para a Igualdade nas Regiões Ultraperiféricas (RUP), aguardando decisão por parte da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género", lê-se na mesma nota.  "De relembrar também que, em 2016, o município recebeu da parte da Comissão Nacional para a Cidadania a Igualdade de Género, a menção honrosa “Viver em Igualdade”, que visa distinguir municípios com boas práticas na integração da dimensão da igualdade de género, cidadania e não-discriminação, quer na sua organização interna, quer nas ações desenvolvidas junto das instituições", conclui.