Câmara do Funchal disponibiliza compostores e ecopontos e anuncia bolsa de serviços especializados

A Câmara Municipal do Funchal vai distribuir cerca de quatro mil compostores e ainda cerca de 1.180 conjuntos de ecopontos. A medida foi anunciada esta tarde pelo presidente da autarquia funchalense, no final da reunião camarária. “São cerca...

Câmara do Funchal disponibiliza compostores e ecopontos e anuncia bolsa de serviços especializados
A Câmara Municipal do Funchal vai distribuir cerca de quatro mil compostores e ainda cerca de 1.180 conjuntos de ecopontos. A medida foi anunciada esta tarde pelo presidente da autarquia funchalense, no final da reunião camarária. “São cerca de quatro mil compostores que vêm permitir aos funchalenses, que tenham um quintal ou uma horta, evitar a criação de lixo indiferenciado adicional, fazendo assim a compostagem”, explicou Miguel Silva Gouveia. Este é um investimento da Câmara Municipal na ordem dos 437 mil euros, financiado pelo POSEUR, e as inscrições abriram esta semana, acrescentou o autarca. “Paralelamente, também existem cerca de 1.180 conjuntos de ecopontos, ou seja para papel, vidro e embalagens, que poderão ser adquiridos gratuitamente por parte de famílias com carências socioeconómicas, para isso bastando uma declaração da junta de freguesia”, anunciou ainda, adiantando que estes serão entregues já neste mês de novembro. Além deste ponto, Miguel Silva Gouveia destacou ainda a aprovação, por unanimidade, do Plano de Prevenção contra Riscos de Gestão, que, na ótica do presidente da Câmara, “acaba por vincar o compromisso deste município com práticas de transparência, de idoneidade e de profissionalismo que salvaguardem a imparcialidade dos nossos técnicos, a isenção e a procura pelo serviço público”. “Nesse sentido, este Plano de Prevenção que hoje foi aprovado inclui uma aplicação do regime de incompatibilidades aos nossos técnicos, que não poderão acumular funções que eventualmente possam vir a ter de ser licenciadas ou aprovadas pela Câmara”, esclareceu. Silva Gouveia acrescentou, nesse contexto, que foi criada uma bolsa de serviços especializados, na qual se poderão inscrever, a partir de segunda-feira, “todos os agentes económicos do Funchal, que queiram prestar serviços na cidade e figurar neste diretório, desde áreas de arquitetura, engenharia, de empreitadas, ou construção civil”, entre outras. “Quando a Câmara é confrontada com alguma necessidade por parte de um munícipe, de ter de executar algum tipo de trabalho, são esses agentes económicos que figuram nessa bolsa de serviços especializados, que serão recomendados aos nossos munícipes”, sintetizou, explicando que deixam assim os técnicos da Câmara de poder acumular essas funções.