Caminho do Ribeiro Real terá parque de estacionamento público gratuito

O Município de Câmara de Lobos, no âmbito das obras de recuperação do caminho do Ribeiro Real, anunciou esta manhã, em visita ao local, a abertura de um estacionamento público, com cerca de 600 metros quadrados, para moradores e visitantes,...

Caminho do Ribeiro Real terá parque de estacionamento público gratuito
O Município de Câmara de Lobos, no âmbito das obras de recuperação do caminho do Ribeiro Real, anunciou esta manhã, em visita ao local, a abertura de um estacionamento público, com cerca de 600 metros quadrados, para moradores e visitantes, em terrenos expropriados, aquando da construção da via-rápida. Na visita, o presidente da autarquia, Pedro Coelho, lembrou que esta via “serve um elevado número de munícipes", numa zona de "grande expansão urbana", que passará a dispor de "acesso melhorado e seguro, face ao volume de tráfego automóvel existente”. Aliás, e para fazer face ao elevado número de moradores existentes na zona, o edil anunciou a intenção da autarquia de proceder à disponibilização ao público de uma área para estacionamento de viaturas automóveis, com cerca de 600 metros quadrados, localizada sob o viaduto da Via Rápida, em terrenos expropriados pelo Governo Regional na época da construção daquela infraestrutura viária regional. Pedro Coelho referiu que, no âmbito da empreitada em curso, a autarquia procederá às necessárias obras de regularização e de adaptação do terreno para garantir o acesso livre ao novo espaço destinado a estacionamento. Esta medida agora anunciada, apesar de não estar prevista no plano inicial de execução da obra, será assumida pelo município e servirá para usufruto público de visitantes e moradores da zona, a qual é marcada pelo elevado um número de acessos pedonais transversais à via principal, que não têm acesso automóvel direto às suas moradias. O executivo municipal reconheceu o constrangimento causado aos moradores pelo prolongamento temporal da intervenção, que ficou a dever-se a dificuldades ao nível das cedências públicas de parcelas, que motivaram, em dois casos, o acionamento de procedimentos de expropriação pública que atrasaram o desenrolar dos trabalhos por vários meses, bem como ao elevado fluxo diário de tráfego automóvel que obrigou a uma programação condicionada dos trabalhos e dificuldades na execução das obras, ao nível de lançamento das redes de rega, drenagem de águas pluviais, esgotos domésticos, e abastecimento de água potável, que não dependeram, de forma direta, da autarquia. Neste momento todo o traçado, ao longo dos seus 930 metros, já se encontra circulável, pese embora a autarquia alerte para a necessidade de atenção por parte dos utilizadores, dado ainda se encontrarem a decorrer obras de finalização, nomeadamente ao nível de reposição de tampas pluviais sobrelevadas, acessos às moradias e finalização de passeios.