Candidatura 'Funchal, um novo rumo' alerta para problemas vividos pelo Corpo de Bombeiros Sapadores

A coligação 'Funchal, um novo rumo', encabeçada por Américo Silva Dias, visitou, esta quinta-feira, as instalações da Companhia dos Bombeiros Sapadores do Funchal, tendo o candidato alertado para problemas relacionados com a falta de espaço para comportar uma corporação que ronda os 150 efetivos. "O edifício é pequeno para o parque de viaturas existentes e a sua acessibilidade à via pública é muito deficiente", frisou Américo Silva Dias, indicando que "o ideal seria a construção de um novo quartel que pudesse albergar um batalhão de Bombeiros Sapadores", e acrescentando que essa é também a aspiração do comandante desta corporação. O candidato salientou ainda que o atual corpo é composto apenas por um comandante, faltando dois adjuntos técnicos. Lamentou ainda a postura do atual Executivo camarário, alvo de uma ação em Tribunal Administrativo, interposta por 30 bombeiros da última recruta. Na base da ação judicial está a reivindicação dos operacionais para a reposição de diferenças salariais de 15% ao ano, de julho de 2019 até março de 2020, uma vez que durante esse período, estes auferiam os salários como bombeiros municipais, embora tivessem já a especialidade de sapadores. "Está em causa um valor pouco significativo para a Câmara Municipal", sublinhou, indicando tratar-se de uma verba de cerca de 30 mil euros, "mas muito importante para os bombeiros que recebem, baixos salários". "Estamos a falar de cercade mil euros por cada bombeiro." "Sabemos que a Câmara Municipal contestou esta ação dizendo somente que o sindicato que representa os bombeiros, não tem legitimidade para representar os Bombeiros Sapadores da Região Autónoma da Madeira, não se pronunciando sobre o valor em causa", acusou o candidato, considerando que, "no fundo, sendo assim, reconhece a dívida aos bombeiros". 

Candidatura 'Funchal, um novo rumo' alerta para problemas vividos pelo Corpo de Bombeiros Sapadores
A coligação 'Funchal, um novo rumo', encabeçada por Américo Silva Dias, visitou, esta quinta-feira, as instalações da Companhia dos Bombeiros Sapadores do Funchal, tendo o candidato alertado para problemas relacionados com a falta de espaço para comportar uma corporação que ronda os 150 efetivos. "O edifício é pequeno para o parque de viaturas existentes e a sua acessibilidade à via pública é muito deficiente", frisou Américo Silva Dias, indicando que "o ideal seria a construção de um novo quartel que pudesse albergar um batalhão de Bombeiros Sapadores", e acrescentando que essa é também a aspiração do comandante desta corporação. O candidato salientou ainda que o atual corpo é composto apenas por um comandante, faltando dois adjuntos técnicos. Lamentou ainda a postura do atual Executivo camarário, alvo de uma ação em Tribunal Administrativo, interposta por 30 bombeiros da última recruta. Na base da ação judicial está a reivindicação dos operacionais para a reposição de diferenças salariais de 15% ao ano, de julho de 2019 até março de 2020, uma vez que durante esse período, estes auferiam os salários como bombeiros municipais, embora tivessem já a especialidade de sapadores. "Está em causa um valor pouco significativo para a Câmara Municipal", sublinhou, indicando tratar-se de uma verba de cerca de 30 mil euros, "mas muito importante para os bombeiros que recebem, baixos salários". "Estamos a falar de cercade mil euros por cada bombeiro." "Sabemos que a Câmara Municipal contestou esta ação dizendo somente que o sindicato que representa os bombeiros, não tem legitimidade para representar os Bombeiros Sapadores da Região Autónoma da Madeira, não se pronunciando sobre o valor em causa", acusou o candidato, considerando que, "no fundo, sendo assim, reconhece a dívida aos bombeiros".