Carlos Fernandes lamenta "faltas de consideração" da República para com as comunidades

O deputado do PSD reagiu ao comunicado emitido hoje pela companhia aérea portuguesa euroAtlantic airways (EAA), no qual desmarcava-se "por completo" das informações que têm sido veiculadas relativamente à ligação Funchal-Caracas. Numa nota enviada à nossa redação, Carlos Fernandes refere que "o comunicado da euroatlantic vem demonstrar aquilo que já sentíamos, que nada estava a ser feito, tanto pela falta de informação que tinham as agências de viagens tanto da Venezuela como da Madeira, como junto da nossa comunidade que estava a sentir com o passar dos dias que nada estava a ser feito para que as tais ligações aéreas acontecessem".  Ressalvando que "esta ligação Funchal-Caracas tem que ser garantida pela TAP, esta devia ser a preocupação do secretário de Estado das Comunidades". Aliás, o deputado social democrata aponta o dedo precisamente a Paulo Cafôfo, que, lembra, "associou-se há algumas semanas a um suposto voo que garantiria a ligação directa entre a Madeira e Caracas, uma exigência dos madeirenses e das autoridades regionais. Acontece que ninguém percebeu bem qual o seu papel na viabilização desse voo, como se processaria, nem sequer quem é a figura que dá a cara pelas alegadas negociações, e qual a sua ligação a Paulo Cafôfo". Assim sendo, acrescenta ainda, "não está aqui apenas em causa o seu registo histórico das promessas falhadas que já nos habituou, mas uma nebulosa que urge clarificar".   Lamentando esta situação, Carlos Fernandes conclui a nota com uma esperança: "Esperamos que esta situação seja resolvida e ultrapassada e que o Governo da República esclareça esta situação irresponsável de um membro do seu governo, nossa diáspora merece respeito e ser tratada com altura, com responsabilidade e não com promessas inócuas", pois "os madeirenses e luso-venezuelanos merecem, com urgência, uma ligação direta entre a Madeira e Caracas".

Carlos Fernandes lamenta "faltas de consideração" da República para com as comunidades
O deputado do PSD reagiu ao comunicado emitido hoje pela companhia aérea portuguesa euroAtlantic airways (EAA), no qual desmarcava-se "por completo" das informações que têm sido veiculadas relativamente à ligação Funchal-Caracas. Numa nota enviada à nossa redação, Carlos Fernandes refere que "o comunicado da euroatlantic vem demonstrar aquilo que já sentíamos, que nada estava a ser feito, tanto pela falta de informação que tinham as agências de viagens tanto da Venezuela como da Madeira, como junto da nossa comunidade que estava a sentir com o passar dos dias que nada estava a ser feito para que as tais ligações aéreas acontecessem".  Ressalvando que "esta ligação Funchal-Caracas tem que ser garantida pela TAP, esta devia ser a preocupação do secretário de Estado das Comunidades". Aliás, o deputado social democrata aponta o dedo precisamente a Paulo Cafôfo, que, lembra, "associou-se há algumas semanas a um suposto voo que garantiria a ligação directa entre a Madeira e Caracas, uma exigência dos madeirenses e das autoridades regionais. Acontece que ninguém percebeu bem qual o seu papel na viabilização desse voo, como se processaria, nem sequer quem é a figura que dá a cara pelas alegadas negociações, e qual a sua ligação a Paulo Cafôfo". Assim sendo, acrescenta ainda, "não está aqui apenas em causa o seu registo histórico das promessas falhadas que já nos habituou, mas uma nebulosa que urge clarificar".   Lamentando esta situação, Carlos Fernandes conclui a nota com uma esperança: "Esperamos que esta situação seja resolvida e ultrapassada e que o Governo da República esclareça esta situação irresponsável de um membro do seu governo, nossa diáspora merece respeito e ser tratada com altura, com responsabilidade e não com promessas inócuas", pois "os madeirenses e luso-venezuelanos merecem, com urgência, uma ligação direta entre a Madeira e Caracas".