Catalunha: Estudantes convocam greve de 48 horas para dias 30 e 31 de outubro

O Sindicado de Estudantes (SE) de Espanha convocou hoje uma greve de 48 horas para 30 e 31 de outubro em protesto contra a condenação dos principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha. O sindicato, uma...

Catalunha: Estudantes convocam greve de 48 horas para dias 30 e 31 de outubro
O Sindicado de Estudantes (SE) de Espanha convocou hoje uma greve de 48 horas para 30 e 31 de outubro em protesto contra a condenação dos principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha. O sindicato, uma organização estudantil marxista fundada em 1986, divulgou hoje à tarde uma declaração em que apela aos estudantes do ensino superior para apoiar a greve e participar nas manifestações programadas para o dia 31 de outubro, que corresponde ao segundo dia da paralisação. Com esta mobilização, os estudantes querem protestar contra a "repressão brutal desencadeada pela Polícia Nacional e pelos Mossos d'Esquadra". "Não conseguiram silenciar-nos, nem conseguiram fazer-nos ceder em 01 de outubro de 2017", escreve o sindicato em comunicado. O SE afirma que a luta visa alcançar "uma república catalã de trabalhadores e jovens” e impedir que “a oligarquia catalã, envolvida na 'estelada' [bandeira do movimento independentista catalão], continue a fazer uma política em benefício das elites". Para atingir esse objetivo "é necessário um plano de luta crescente e bem organizado que coordene e unifique todas as forças [independentistas], que são enormes", assegura o Sindicato de Estudantes. Os estudantes pediram a realização de assembleias nas universidades para votar na greve e formar comités de luta para que a mobilização seja massiva. O sindicato pediu também que se organize "uma nova greve geral de 48 horas que paralise toda a Catalunha". O Supremo Tribunal espanhol condenou, no dia 14 de outubro, os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão. A sentença motivou protestos de grupos de independentistas, que começaram no próprio dia e se têm repetido diariamente em Barcelona e em outras cidades da região autónoma, tendo ficado marcadas por confrontos entre grupos violentos e as forças de segurança. Desde a passada segunda-feira, dia em que começaram os protestos, a polícia regional da Catalunha (Mossos d’Esquadra) deteve 157 pessoas, a Polícia Nacional 34 e a Guarda Urbana de Barcelona oito, o que equivale a 199 pessoas detidas no total. Dos 199 detidos, 92 foram presos em Barcelona, 27 em Girona, 37 em Tarragona e 43 em Lleida. Ao mesmo tempo, 289 agentes da polícia ficaram feridos: 154 Mossos d'Esquadra, 134 polícias nacionais - um deles em estado muito grave - e um Guarda Urbano. Um total de 236 polícias ficaram feridos em Barcelona, 19 em Girona, 17 em Tarragona e outros 17 em Lleida.