Catalunha: Milhares de independentistas protestam contra visita do Rei Felipe VI

Milhares de independentistas catalães protestaram hoje contra a presença do Rei Felipe VI em Barcelona, bloqueando a entrada no Palácio de Congressos, onde se realizou a cerimónia de entrega dos prémios Princesa de Girona. “O Rei espanhol não...

Catalunha: Milhares de independentistas protestam contra visita do Rei Felipe VI
Milhares de independentistas catalães protestaram hoje contra a presença do Rei Felipe VI em Barcelona, bloqueando a entrada no Palácio de Congressos, onde se realizou a cerimónia de entrega dos prémios Princesa de Girona. “O Rei espanhol não é bem-vindo na Catalunha”, “Nem Rei nem medo” e “Barcelona será o pesadelo de Felipe VI” eram algumas das frases que podiam ler-se nos cartazes dos manifestantes, enquanto outros seguravam fotos do rei viradas do avesso. Desde a chegada de Felipe VI no domingo, o centro de congressos está protegido por um forte dispositivo policial, que cortou a avenida Diagonal de Barcelona, situada nas proximidades do local da cerimónia e importante via de acesso à cidade. Esta é a primeira visita de Felipe VI à Catalunha após a condenação em 14 de outubro de nove líderes independentistas envolvidos na tentativa de independência da região a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão. Essa condenação originou uma onda de manifestações, algumas das quais degeneraram em confrontos violentos entre os manifestantes e a Polícia Nacional e a polícia regional (Mossos d’Esquadra). A violência na região colocou a Catalunha no centro do debate político a poucos dias das eleições legislativas do próximo domingo. O Rei de Espanha é um alvo privilegiado dos independentistas catalães após o seu discurso em 13 de outubro de 2017, no qual pediu para “garantir a ordem constitucional” face à tentativa de secessão da Catalunha. Os manifestantes reprovam o facto de o chefe de Estado espanhol não se ter pronunciado acerca da violência policial desencadeada pelo referendo de independência catalã, realizado a 01 de outubro de 2017 e proibido pela justiça espanhola. “O Rei ficou [em 03 de outubro de 2017] do lado da polícia que havia espancado as pessoas que votaram. Protestamos para que não volte mais à Catalunha, quanto mais depois da sentença totalmente injusta” contra os dirigentes independentistas, afirmou Jose Ligero, de 45 anos, citado pela agência de notícias France-Presse (AFP). O líder da Câmara Municipal de Barcelona, Josep Bou, do Partido Popular (PP), foi injuriado de “fascista” e “provocador” à chegada ao Palácio de Congressos, insultos aos quais respondeu: "Sou tão catalão quanto vocês". O líder político catalão foi posteriormente ajudado por um polícia civil a aceder ao centro de congressos por outro local. A entrada do Polo Club, localizado na avenida Marañon, foi também bloqueada para impedir que os convidados saíssem do Palácio de Congressos, o que causou momentos tensos com as autoridades catalãs.