CDS congratula-se com posição do Presidente da República sobre subsídio de mobilidade

O CDS-PP congratulou-se ontem com a publicação por parte do Presidente da República do diploma que altera as regras do subsídio social de mobilidade para o transporte aéreo, entre a Madeira e o continente, em que os madeirenses deixarão de...

CDS congratula-se com posição do Presidente da República sobre subsídio de mobilidade
O CDS-PP congratulou-se ontem com a publicação por parte do Presidente da República do diploma que altera as regras do subsídio social de mobilidade para o transporte aéreo, entre a Madeira e o continente, em que os madeirenses deixarão de adiantar dinheiro aos Estado e passam a pagar apenas 86 euros e os 65 estudantes. Ressalvou que, no entanto, fica ainda por dar "um grande passo" para a aplicação real da medida: agora é preciso agora regulamentar o diploma. Foi isso mesmo que explicou esta quarta-feira Sara Madalena, dirigente partidária, vereadora na Câmara da Ponta do Sol e "número um" da lista do CDS-PP Madeira às eleições de 6 de outubro para a Assembleia da República. "É uma medida esplêndida", afirmou. "Há muito que esperávamos pela aprovação, só não foi antes porque apesar de aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa Regional, não foi em sede da Assembleia da República devido aos votos contra dos deputados socialistas eleitos pela Madeira. Ainda bem que arrepiaram caminho e posteriormente votaram a favor." O próximo passo é o mais decisivo de todos, acrescenta a nota do partido: "Agora temos de pugnar pela sua implementação. Desafiamos o governo actual ou o que vier a seguir às eleições de outubro a regulamentar e a implementar com a maior urgência essas alterações. Não pode essa proposta, como tantas outras, ficar a amarelar na gaveta", desafiou Sara Madalena.   A dirigente lembrou o caso do subsídio social de mobilidade para o transporte marítimo entre a Madeira e o continente, proposta que foi uma das conquistas do CDS na Assembleia da República, também aprovada pelo Parlamento nacional mas desde 2015 que aguarda regulamentação.    "Estamos a falar de mobilidade, continuidade territorial e coesão social", sinalizou Sara Madalena, para acrescentar: "Na qualidade de candidata à Assembleia da República pelo CDS, pugnarei pela existência de ligações marítimas ao território continental durante todo o ano, com subsidiação tripartida pela Região, porque preservamos a nossa autonomia, pela República, porque não somos portugueses de segunda, e pela União Europeia, porque não somos europeus de terceira. Devemos assegurar os direitos que temos por sermos periféricos, não somos europeus de terceira nem portugueses de segunda, somos madeirenses de primeira, somos cidadãos do mundo."