CDS é a “mudança tranquila” de que a Região necessita

O CDS repetiu uma tradição com mais de duas décadas e foi à Festa dos Romeiros, no Chão dos Louros. A numerosa comitiva dos centristas, que incluía dirigentes regionais e concelhios, militantes e apoiantes, foi mais uma demonstração “da força...

CDS é a “mudança tranquila” de que a Região necessita
O CDS repetiu uma tradição com mais de duas décadas e foi à Festa dos Romeiros, no Chão dos Louros. A numerosa comitiva dos centristas, que incluía dirigentes regionais e concelhios, militantes e apoiantes, foi mais uma demonstração “da força e do entusiasmo” com que o partido está a enfrentar esta campanha eleitoral, começou por afirmar Rui Barreto, líder do CDS Madeira. Aos jornalistas, Barreto mostrou que o “CDS é a mudança segura” de que “os madeirenses necessitam”. Tudo porque enquanto “o PSD foi uma desilusão”, o “PS é uma ilusão”, seguindo uma “política do vale tudo”, que inclui “atirar areia para os olhos” dos cidadãos e fazer “um leilão” de milhões. Exemplificando, o líder do CDS Madeira relembrou que recentemente, o candidato socialista, Paulo Cafôfo, anunciou em grandes parangonas ter conseguido “mais 300 milhões de euros” para a Região, provenientes de uma alteração da Lei das Finanças Regionais, supostamente acordada com o primeiro-ministro, António Costa. Poucos dias depois, foi o próprio Costa a desmentir Cafôfo, negando o acordo anunciado pelo candidato socialista, classificando-o como uma mera proposta para ser discutida numa reunião entre os dois governos. Mais uma vez, Cafofo não hesitou em “atirar areia para os olhos” dos madeirenses, algo que não abona a favor da mudança que pede ao eleitorado. À “desilusão” que é o PSD e à “ilusão” que é o PS, o CDS responde com segurança e com equilíbrio, propondo uma mudança tranquila na Região. “Vamos sozinhos a votos”, relembrou Barreto, acrescentando que “O CDS é a mudança segura” de que a Madeira necessita.