CDS quer aumentar acesso dos madeirenses a terapias alternativas

O CDS está disponível para trabalhar no sentido de criar legislação que permita o acesso das pessoas às terapias alternativas dentro do Serviço Regional de Saúde da Região (SESARAM). Foi o próprio líder do partido que o transmitiu após uma...

CDS quer aumentar acesso dos madeirenses a terapias alternativas
O CDS está disponível para trabalhar no sentido de criar legislação que permita o acesso das pessoas às terapias alternativas dentro do Serviço Regional de Saúde da Região (SESARAM). Foi o próprio líder do partido que o transmitiu após uma sessão muito participada e coordenada por Eduardo Luís, presidente da Ordem Mundial de Reflexologia, este domingo, nos Jardins do Lido. Rui Barreto disse que quer alargar os benefícios desta terapia aos cuidados de saúde que são prestados às populações.  "Estamos a falar de terapias que são fundamentais para a prevenção e o diagnóstico, mas também para debelar muitas vezes a dor", afirmou o líder do CDS-PP, ele próprio um utente frequente destes serviços que não dispensou a presença de Eduardo Luís e submeteu-se a uma bateria de tratamentos para ajudar a recuperar do desgaste da pré-campanha eleitoral. "Estamos a falar de uma área muito importante para a qualidade de vida, em qualquer fase da idade, mas quando a longevidade é cada vez mais longa precisamos de ter melhor qualidade de vida e bem-estar", disse.  A organização deste evento teve por objetivo chamar a atenção, sem dogmatismos, para os benefícios da reflexologia e das terapias alternativas. "São importantes porque são complementares e têm um efeito positivo no corpo, ajudam a mitigar a dor", frisou Rui Barreto, que deu algumas notas sobre as formas de acesso já existentes. "A reflexologia e o reiki são já possíveis nalguns hospitais nacionais, na Madeira ainda não, e por isso temos trabalho para fazer nesse campo porque estamos a falar de uma área que ajuda as pessoas a sentirem-se melhor, e quando as pessoas têm saúde são mais felizes e vivendo melhor ajudam o sistema que será cada vez mais oneroso porque vivemos cada vez mais anos." Rui Barreto fez referência à grande evolução da medicina convencional, mas faz questão de enquadrar as terapias alternativas: "Valorizo muito estas medicinas que podem e devem ser complementares à medicina tradicional. Têm um espaço próprio, e por isso devemos proporcionar o acesso nas unidades de saúde e nos hospitais, nós estamos disponíveis para fazer esse caminho. Falta permitir aqui, como existe no continente, acesso aos hospitais e centros de saúde para que as pessoas possam usufruir destas terapias." Rui Barreto apontou a necessidade de o assunto ser debatido na Assembleia da República para promover a legislação necessária: "É preciso dar passos na certificação e nas exigências de quem as aplica", sugeriu o líder do CDS. "Estou aqui com o dr. Eduardo Luís, que é uma pessoa credenciada e competente, e por isso quem presta estas terapias tem de garantir segurança aos utentes, e o meu compromisso é trabalhar do ponto de vista legislativo para que estas terapias sejam uma realidade e estejam integradas no sistema." Segundo o líder centrista, "a reflexologia tem sido muito procurada, pelos seus resultados, por várias patologias, como oncologia, cuidados paliativos, doenças da infância e gravidez". Em 2018, transmitiu, foram certificados 15 licenciaturas nas terapias alternativas.