CDS quer suspensão da taxa turística durante 12 meses no Funchal

Atendendo às circunstancias atuais impostas pelo combate à pandemia Covid-19 e a consequente queda no turismo, um setor vital para o Município do Funchal e para a Região Autónoma da Madeira, a vereadora do CDS na Câmara Municipal do Funchal, Ana Rita Gonçalves, entregou hoje uma proposta de deliberação para a Suspensão do Procedimento de Aprovação da Taxa Turística, por um período de 12 meses. A vereadora do CDS defende que “é hora de voltar a atrair turistas para o Funchal, não é a hora de aprovar taxas". Na proposta de deliberação enviada à Câmara do Funchal, o CDS afirma que o setor do turismo que “representa um papel fundamental para a economia regional, é hoje um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, sendo incerta quaisquer datas de reabertura dessa atividade, bem como quais as expetativas de recuperação. Por sua vez, concentra-se no município do Funchal grande parte da fatia do setor hoteleiro da região, bem como das diversas atividades de animação e turísticas, e que se encontram totalmente suspensas”. Desse modo, o CDS entende que é “imperativo” que o Executivo camarário tome medidas que contribuam para, numa primeira fase, aliviar o peso da despesa do sector turístico no Funchal, bem como acelerar a retoma do sector Turístico aumentando a competitividade do destino Madeira, particularmente na cidade do Funchal. Assim, atendendo à importância do Turismo para o Município do Funchal e para a Região Autónoma da Madeira, o CDS solicita a “suspensão de todas as atividades em curso com vista à aplicação da Taxa Municipal Turística do Funchal, pelo prazo de 12 (doze) meses, e após este período, reavaliar a pertinência da aplicação desta taxa antes de dar continuidade a este processo”.  

Atendendo às circunstancias atuais impostas pelo combate à pandemia Covid-19 e a consequente queda no turismo, um setor vital para o Município do Funchal e para a Região Autónoma da Madeira, a vereadora do CDS na Câmara Municipal do Funchal, Ana Rita Gonçalves, entregou hoje uma proposta de deliberação para a Suspensão do Procedimento de Aprovação da Taxa Turística, por um período de 12 meses. A vereadora do CDS defende que “é hora de voltar a atrair turistas para o Funchal, não é a hora de aprovar taxas". Na proposta de deliberação enviada à Câmara do Funchal, o CDS afirma que o setor do turismo que “representa um papel fundamental para a economia regional, é hoje um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, sendo incerta quaisquer datas de reabertura dessa atividade, bem como quais as expetativas de recuperação. Por sua vez, concentra-se no município do Funchal grande parte da fatia do setor hoteleiro da região, bem como das diversas atividades de animação e turísticas, e que se encontram totalmente suspensas”. Desse modo, o CDS entende que é “imperativo” que o Executivo camarário tome medidas que contribuam para, numa primeira fase, aliviar o peso da despesa do sector turístico no Funchal, bem como acelerar a retoma do sector Turístico aumentando a competitividade do destino Madeira, particularmente na cidade do Funchal. Assim, atendendo à importância do Turismo para o Município do Funchal e para a Região Autónoma da Madeira, o CDS solicita a “suspensão de todas as atividades em curso com vista à aplicação da Taxa Municipal Turística do Funchal, pelo prazo de 12 (doze) meses, e após este período, reavaliar a pertinência da aplicação desta taxa antes de dar continuidade a este processo”.