CDS/Congresso: Matos Santos diz que partido vai escolher entre "mais do mesmo" e "futuro"

O candidato à liderança dos centristas Abel Matos Santos defendeu hoje que o partido vai escolher entre “mais do mesmo” e o “futuro” e declarou-se disposto a contribuir para um CDS “vitaminado”. À entrada para o Parque de Exposições de Aveiro,...

CDS/Congresso: Matos Santos diz que partido vai escolher entre "mais do mesmo" e "futuro"
O candidato à liderança dos centristas Abel Matos Santos defendeu hoje que o partido vai escolher entre “mais do mesmo” e o “futuro” e declarou-se disposto a contribuir para um CDS “vitaminado”. À entrada para o Parque de Exposições de Aveiro, onde hoje começa o 28.º Congresso do CDS-PP, eletivo, Abel Matos Santos disse que irá apresentar o projeto político que defende para o partido, para que “deixe de ser um CDS descafeinado” e passe a ser um partido “vitaminado”, assumidamente de “direita” e sem complexos. “Este congresso é decisivo, é do tudo ou nada, para escolher duas coisas, ou a continuidade, mais do mesmo, ou o futuro e é por isso que eu venho motivado e convicto para contribuir para essa mudança”, declarou. Apontando o seu adversário na corrida à liderança João Almeida como “aquele que não deve ganhar” por representar “a continuidade”, Matos Santos disse que não rejeita um cenário de eventuais acordos com outros candidatos. “Não rejeito nada. Agora o que estou motivado é afirmar o meu projeto político. Nisso é que estou motivado. Os órgãos e quem pertence ao quê é secundário”, disse. O último dos cinco candidatos à liderança do CDS a chegar ao Parque de Exposições de Aveiro foi Carlos Meira, que disse aos jornalistas que iria entrar no congresso com “muita calma e serenidade”. “A campanha já terminou e agora vamos em frente. Temos o dia inteiro para falarmos. Vamos entrar com muita calma e muita serenidade e mostrar ao país a calma que temos de transmitir”, declarou o primeiro subscritor da moção “Pelo futuro, por Portugal”.