CDU contra novas regras do trabalho

A candidatura da CDU à Assembleia da República pelo Círculo Eietoral da Madeira, considera que hoje é um dia negro para os trabalhadores porque entra em vigor "uma das piores legislações laborais dos últimos anos". O alargamento do período...

CDU contra  novas regras do trabalho
A candidatura da CDU à Assembleia da República pelo Círculo Eietoral da Madeira, considera que hoje é um dia negro para os trabalhadores porque entra em vigor "uma das piores legislações laborais dos últimos anos". O alargamento do período experimental para 6 meses, a generalização dos contratos de curta duração ou a legalização da precariedade, com a possibilidade das empresas poderem manter a precariedade desde de que paguem a “bula”, são alguns dos muitos exemplos com que os trabalhadores se irão confrontar a partir de hoje, conforme salientou, numa iniciativa de campanha, Herlanda Amado. "Nós propusemos muitas alterações a esta legislação laboral, que defendiam os direitos dos trabalhadores e que foram chumbadas por PS com o apoio do PSD e CDS, entre elas, o fim da possibilidade do patronato liquidar a contratação colectiva livremente assinada com os sindicatos, 35 horas para todos os trabalhadores do público e privado, fim do banco de horas, reposição dos 25 dias de férias ou ainda a que a cada posto de trabalho permanente, corresponda um contrato efectivo", disse.